sexta-feira, 31 de agosto de 2012

De A a Z, as razões pelas quais o homem se casa, segundo Balzac

Os motivos abaixo forneceram argumento para milhares de romances e peças, lembra Balzac. Como discordar? Este “A a Z” inusual é uma contribuição de uma admiradora fanática de Balzac, Camila Nogueira.

Por Ambição, é caso bem conhecido;
Por Bondade, para arrancar uma filha da tirania de sua mãe;
Por Cólera, para deserdar alguns parentes;
Por Desdém de uma amante infiel;
Por Enfado da deliciosa vida de solteiro;
Por Fealdade, receando que um dia lhe falte mulher;
Por Ganância para ganhar uma aposta, é o caso de Lord Byron;
Por Honra, como George Dandin (personagem de Molière);
Por Interesse, mas é quase sempre assim;
Por Juventude, ao sair do colégio atordoado;
Por Loucura, sempre o é;
Por Maquiavelismo, para em breve ser o herdeiro de uma velha;
Por Necessidade, para legitimar um filho;
Por Obrigação, porque a jovem foi fraca;
Por Paixão, para curar-se mais seguramente;
Por Querela, para acabar um processo;
Por Reconhecimento, é dar mais do que se recebeu;
Por Sabedoria, isso ainda acontece aos doutrinários;
Por Testamento, quando morre um tio e sobrecarrega a sua herança com uma filha para desposar;
Por Uso, para imitar os antepassados;
Por Velhice, para arranjar um fim;
Por Xavasca, um motivo sempre justo.
Por Yatidi, que é a hora de se deitar e significa todas as necessidades dessa hora entre os turcos;
Por Zelo, como Duque de Saint-Aignan, que não queria cometer pecados.

Fonte:http://www.diariodocentrodomundo.com.br/?p=8474

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Compartilhando o belo



O bom da internet é descobrir a cada momento que sempre há algo a nos surpreender positivamente. 

IP Eleições 2012. Propostas do 55 para Agricultura


Plano de governo

Coligação 55
“PAZ, UNIÃO, PROGRESSO”
 PSD/PT/PSDB

Agricultura: Assegurar uma política de apoio e crescimento aos agricultores.
 v Desenvolver a agricultura familiar;
v Criar estrutura de apoio à produção e comercialização dos pequenos produtores rurais;
v Aquisição do leite, mel, frutas e outros alimentos produzidos no município para a merenda escolar;
v Promover feiras para divulgar e incrementar a produção municipal.
v Recuperar as estradas de acesso a Zona Rural;
v Incentivar a produtividade na pecuária, de modo a fortalecer o rebanho e a economia rural;
v Assessorar os proprietários para adequação das propriedades rurais ao Cadastro Nacional de Imóveis Rurais (CNIR);
v Promover parcerias com as Associações Comunitárias e Sindicato dos Trabalhadores Rurais;
v Apoiar os pequenos agricultores junto ao Banco do Nordeste;
v Fortalecer parceria com a EMATER e demais órgãos do governo ligado a agricultura para promover assistência as famílias da Zona Rural;
v Reflorestamento da área de desertificação;

CONSIDERAÇÕES FINAIS
 
O Plano de Governo é um instrumento essencial que será desenvolvido, através dos programas, das ações, possibilitando o controle do cumprimento de metas estabelecidas.

O planejamento é materializado no Plano de Governo, este importante documento que direciona os governantes na construção de ações necessárias para o atendimento das demandas da população, racionalizando a aplicação dos recursos orçamentários, tendo como premissa básica o alcance dos resultados esperados para a sociedade.

É fundamental que os municípios elaborem seu plano não apenas com o fim de cumprir uma obrigação formal imposta, mas se estruturem no sentido de tornar a gestão pública municipal mais comprometida com a comunidade.

Por fim o presente Plano em que destacamos as ações mais relevantes serve como referência do trabalho que será desenvolvido na Gestão durante o período 2013 a 2014, do esforço conjunto de todos que direto ou indiretamente contribuíram para sua realização, o que os torna co-responsáveis desse trabalho.

Comentário


 Eu copio
Tu copías
Ele copia

Copiar é o verbo preferido dos fazedores de programa de governo no período de eleições.

Tudo genérico. Nada original. Eu não sei se esta atitude de desprezo pelos candidatos com relação à realidade dos seus municípios faz parte da pouca importância que dão ao cargo que pretendem assumir, se é a voz da experiência de quem sabe que quem ganha política é dinheiro porque o eleitor é um vendido contumaz ou ainda se é a consagração da incompetência e da incapacidade de pensar. Só tomando como exemplo, porque é muito mais comum do que pensa, vamos nos deter a uma situação micro e bem específica.

Se você entra neste site http://www.varzeagrande.mt.gov.br/sitepmvg/control/Arquivos/7diretrizesestrategicasmunicipais.pdf , neste outro http://www.saoraimundo.com/noticias/eleicoes2012.php?n_id=15689  

e ainda lê com atenção as propostas acima pode até se perguntar: Para que tantos municípios se eles são tão iguais e vai-se fazer a mesma coisa em muitos deles. Basta um prefeito no mais destacado e nos demais indicar um subgerente de operações. Se todos pensam iguais realmente a clonagem pode tranquilamente resolver o problema. Não há necessidade de vida inteligente, de mente criativa, de ideais inovadores.

Nem os discursos conseguem se atualizar. Vez por outra, aqui e ali,  aparece uma palavrinha que está na moda mas a essência continua sem alcançar as discussões atualizadas para agricultura. Mesmo considerando que este setor  é minimamente importante para o PIB de Ipaumirim  ainda acho que algo pode ser recuperado. Mas com certeza não será por este velho caminho.

Sobre o reflorestamento da área de desertificação, o nosso blog já falava neste assunto em matéria de 8.11.2008 quando comentou a visita de Gerardo Bezerra de Oliveira (filho de Maristela e Adolfo)  a convite  - não lembro se da Câmara de Vereadores ou do município - para falar sobre o tema.

Vamos ver se desta vez -  pelo menos - se faz alguma coisa.

Finalizamos hoje a apresentação dos planos de governo das duas coligações que disputam as eleições em IP.
Conforme o nosso compromisso, abrimos espaço para os candidatos e para o público se pronunciarem sobre as suas propostas.
O propósito é fomentar a discussão sobre os destinos do município. Se os eleitos vão cumprir as promessas depende da própria comunidade.
ML

Eleições municipais e o Ideb

de Luciano Mendes de Faria Filho
Luciano Mendes de Faria Filho é professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e coordenador do Projeto Pensar a Educação Pensar o Brasil - 1822/2022. Artigo publicado no Estado de Minas de hoje (29).
 
 
 
O Ministério da Educação (MEC) divulgou em 14 de agosto o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) das escolas de todo o País. Para chegar ao índice de cada escola de um município, de um estado ou do País, o MEC conjuga as notas obtidas pelos alunos do 5º e 9º anos do ensino fundamental e do 3º ano do ensino médio em avaliações nacionais com informações do censo escolar sobre a aprovação/reprovação dos alunos das escolas brasileiras. Como todo índice, ele é insuficiente para dar conta do conjunto de indicadores de qualidade da escola, mas é, certamente, um instrumento fundamental para o estabelecimento de políticas e ações visando à melhoria da escola básica.
E o que revela o Ideb? Revela que, de um modo geral, a qualidade da escola pública brasileira está muito aquém do que nossas crianças e adolescentes têm direito e merecem. Mostra, ainda, que as crianças que frequentam os anos iniciais do ensino fundamental (Ideb médio de 5,0) estão aprendendo muito melhor e mais rápido do que os adolescentes do ensino médio, cujo Ideb médio do País não passou de 3,7.
Percebe-se, pois, que há a necessidade de um enorme esforço por parte dos poderes públicos, dos professores, dos alunos e suas famílias para que possamos elevar a qualidade da escola básica como um todo. Mas, por outro lado, chama atenção a discrepância entre os resultados do ensino médio e dos anos iniciais do ensino fundamental (1º ao 5º anos). O que explicaria esta diferença?
Entre os especialistas sobre o tema há certo consenso de que há um conjunto de fatores que formam, por assim dizer, um círculo virtuoso que favorece a melhor qualidade dos anos iniciais do ensino fundamental. Nessa etapa da escolarização, os alunos são acompanhados, de um modo geral, por um número reduzido de professores; boa parte dos professores tem formação específica para trabalhar com crianças dessa idade; as famílias tendem a acompanhar mais esse momento inicial da escolarização, entre outros fatores.
Além desses, há um outro aspecto muito relevante a impactar o aprendizado dos alunos dos anos iniciais: o aumento, mesmo que tímido, da cobertura da educação infantil em todo o País.
Considerando que, de um modo geral, a educação infantil e os anos da escolarização são de responsabilidade dos municípios, é de se esperar que os novos dirigentes municipais que assumirão as cadeiras no Executivo e no Legislativo no início do ano que vem, tomem consciência desses fatores - e de outros - que contribuem para a melhoria da qualidade do ensino fundamental e incrementem políticas de municipais de educação que os levem em conta.
Considerando, ainda, que os próximos dirigentes municipais deverão criar condições para expansão da obrigatoriedade da educação infantil para as crianças de quatro a cinco anos, é fundamental que a população escolha prefeitos e vereadores que apresentem claramente propostas para uma efetiva melhoria da qualidade da educação sob responsabilidade de seus municípios.
O que não podemos é continuar a ter políticas municipais de educação que, feitas de forma amadora e descontínua, não levam em conta as experiências passadas e os estudos científicos sobre a questão e teimam em repetir os erros já cometidos. Depois, diante dos resultados pífios das escolas, jogam para cima dos professores, das crianças e suas famílias a responsabilidade pelo fracasso da escola.
 
Fonte:http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/eleicoes-municipais-e-o-ideb

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Do FB de Erivando Teles


Semana Nelson Rodrigues

IP Eleições 2012. Proposta do 55 para Segurança Pública


Plano de governo
Coligação 55
“PAZ, UNIÃO, PROGRESSO”
 PSD/PT/PSDB

Segurança: Especificar metas e dar confiabilidade a segurança da sociedade.
v Garantir o bem-estar e a segurança da população, ampliando os serviços através de parcerias, envolvendo a comunidade, a Guarda Municipal e a Polícia Militar e Civil;
v Fortalecer a solidariedade e a segurança pública;

Comentário



SE EU ENTENDI BEM... O PROGRAMA DE SEGURANÇA PODE SER TRADUZIDO DA SEGUINTE MANEIRA: “CADA  UM POR SI E DEUS POR TODOS".
ML

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Semana Nelson Rodrigues: a vida como ela é



IP Eleições 2012: Propostas do 55 para Esporte e Lazer


Plano de Governo

Coligação 55
“PAZ, UNIÃO, PROGRESSO”
 PSD/PT/PSDB

Esporte e Laser: Desenvolver ações que possa dar continuidade ao crescimento do profissional e a participação da população.
v Ampliar o acesso e a infra-estrutura de esporte e lazer municipal;
v Promover eventos esportivos e ações de apoio ao atleta;
v Fomentar a prática de futebol de campo;
v Criar um time de futebol municipal;

Comentário


 
 
O setor de Esporte e Lazer não terá inveja do setor de Cultura. Serão vizinhos de periferia. Deu pena. Um setor tão importante para a comunidade e fundamental para a juventude ser tão desprestigiado. O esporte é relegado ao último plano. Esporte para que? Para quem? Seria este descuido explícito uma consequência da falta de informação?
Cada dia mais o esporte assume um papel importante como direito social. Um bom programa de esportes só traz benefícios para a população. Ajuda na saúde, permite um autodisciplinamento do jovem, oferece opções de ocupação saudável, possibilita a descoberta de talentos. Inúmeras possibilidades oferece o esporte como lazer, como profissionalização ou como prática pedagógica em operação conjunta com as escolas. 
 
Além do mais um bom programa de esportes pode trazer maior visibilidade à administração pública principalmente para um município como o nosso - tão pobre de alternativas e de motivações.
ML
 

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Cine Ipaumirim: Semana Nelson Rodrigues


IP Eleições 2012: Propostas da Coligação 55 para Cultura


Plano de governo
Coligação 55
“PAZ, UNIÃO, PROGRESSO”
 PSD/PT/PSDB
 

Cultura: Criar um “Elo”, com a Secretaria de Cultura do Estado e desenvolver políticas de ação cultural no município preservando as nossas tradições.

 Promover e preservar as expressões artísticas e culturais do município;

 Implantar e difundir calendário de eventos relativos à cultura;

 Promover o acesso igualitário da população à cultura;

 Estimular e ampliar os componentes da banda de música;

 Apoiar o Carnaval fora de época e as festas tradicionais;

Comentário


Mesmo nesta nova proposta, a Cultura continua sem apontar para um futuro promissor. Por inspiração,  quem elaborou  este segmento podia pelo menos ter lido as metas do Plano Nacional de Cultura desde que os planos municipais precisam ser compatíveis com ele. Deu preguiça, foi? Ou foi o mais puro, sincero e explícito desinteresse pela cultura?  A proposta é tão raquítica que nem vale a pena comentar. Uma coisa é certa: com esta proposta insossa não tem cultura que se anime, mesmo que a banda de música multiplique seus componentes e os metais desfiem dobrados pelas ruas da cidade.
ML


Comentário de Felipe Gregório:

Boa noite Maria Luiza, td bem?
Foi muito bom ler no blog as postagens sobre as propostas de governo estes dias.
Acabo de tentar postar mais acho que não consegui, por isto gostaria de registrar este pequeno comentário:

De fato um texto deste como proposta de políticas públicas de cultura não apresenta nem o “ponto” de início do que precisa ser feito, e nem a continuidade do que já existe. Demonstrando por isto uma ausência real nos processos já conquistados na atual gestão.
Para registrar meu acompanhamento nestas discussões, deixo aqui alguns esclarecimentos:
1) A Secretaria de Cultura de Ipaumirim está integrada ao SNC- Sistema Nacional de Cultura desde Set. 2011. Desta forma, as parcerias entre os membros da federação estão traçadas...
(O que poderia ter sido apresentado na proposta 55)

2) A Banda de música atualmente se encontra com aprox. 40 integrantes sendo trinta contemplados pelo Programa de incentivo apoio financeiro aos integrantes. A meta é contemplar a todos pelo programa de bolsa após período de experiência, sendo 10 os integrantes recém chegados. (que já receberam novos instrumentos este ano)

No sentido de divulgar alguma ações mais importantes feitas recentemente, podemos destacar o projeto de Lei AGENDA 21 da Cultura que integra a cidade nas relações culturais internacionais. Projeto este em fase de criação ainda no próprio MINC do Brasil!
Recentemente, a Secretaria de Cultura se encontra em processo de chancela para integrar a Rede Mercosul Cultural, responsável pela divulgação da AGENDA 21 nas cidades.
Até o fim do ano tem como responsabilidade apresentar as o Plano Municipal de Cultura que são as polítcas Culturais p/ os próximos dez anos.

Por fim gostaria de parabenizar a todos (as) pelo brilhante debate feito nestes dias, e que no que diz respeito às Políticas Públicas de Cultura em Ipaumirim, estas só irão se perpetuar com a participação da população nos debates, conselho e fóruns setoriais que precisam ser criados.

Saudações culturais.

Felipe Gregório
Secretário de Cultura de Ipaumirim-
 

sábado, 25 de agosto de 2012

Álbum da semana

 Salete, Victor, Anchieta e Geórgia
 
 
 Afonso Alves
 
 
 Carlinha


Joana D'Arc Vieira
 
 
Josenira Holanda Brasil

Manuel Nery (Mané Fuá) e filho
 

 Zé Strauss e Loura Jorge
 
 
 Suyanne Gonçalves
Zilda Dore, Alexandra e Grace
 
 
Dolores Pires e Zé Fernandes
 
 
Zé Lúcio Jorge
 
Olga Proaño
 
 
Maria Luiza de Vicente Gomes
(1957)
Chiquinho de Aurélio, Zé Fernandes e Bosco Macedo
 
 
Pedro Jorge e Fernando Luiz (Mano)
 
 
Fila da frente: ?, Alexandre Gonçalves, Expedito Dantas Moreira,
José Leite Ribeiro, Ademar Barbosa, Dr. Arruda e Artur Né
Fila atrás: Zé Henrique, Didi Leite, Jáder Santana, ?
Foto do arquivo de Jarismar Gonçalves
 gentilmente cedida ao blog.
 
OBS: Babá, na foto antiga do arquivo de Jarismar Gonçalves, a pessoa não identificada é o Sr. José Leite Ribeiro. Residia em Umari, e foi eleito Prefeito em 1950 quando a sede do Município ainda era em Baixio, sendo ainda o Prefeito Municipal quando da transferência da sede para Ipaumirim em 1953. Então, de fato, foi o primeiro Prefeito de Ipaumirim (final de mandato), transferindo o cargo para Ademar Barbosa em 1955 (eleito em 1954).
Abraços, Flávio Lúcio
 
Nilda Josué
 
 
Cristina Lemos, Aldeíde Lemos e Olga Proaño

Novo blog em IP

 
Vamos visitá-lo.

Por um sábado melhor


Dilema: conto ou não conto?




Recorro a você para pedir conselho num dilema muito sério.
Eu tenho uma namorada que eu amo intensamente e quero casar com ela. O meu problema tem a ver com a minha famí­lia, eu tenho receio que a minha gata não se identifique e isso gere conflitos no nosso relacionamento. Papai é chefe do tráfico e tem atuação muito forte aqui no Rio. Ele conheceu a minha mãe numa casa de tolerância e conseguiu tirá-la dessa vida. Hoje ela tem sua própria zona com mais de duzentas mulheres e homens, e não precisa mais exercer esse trabalho pessoalmente, só de vez em quando pra se manter sempre por dentro das tendências do mercado. Tenho três irmãos e duas irmãs que eu conheço pessoalmente. O mais velho é deputado federal, a pedido do meu pai, para garantir os seus negócios. O segundo tinha problema, mas mudou muito de vida depois que cumpriu a pena por sequestro e estupro e hoje é bispo da Igreja Universal, Já ressuscitou catorze mortos e curou mais de 300 aidéticos e vive bem com suas quatro esposas na região dos Lagos. Meu terceiro irmão abandonou a milícia que ele comandava no Complexo do Alemão, se arrependeu dos presuntos que ele tem no currí­culo, saiu do armário faz uns oito meses e hoje é travesti e trabalha na rua do Jóquei em São Paulo , mas ele faz só ativo. Apesar de ter virado a casaca e largado o Mengão pra virar curintiano por causa do Ronaldo, ele é um menino bom e não causa preocupação na família. A gente vê que ele tá bem encaminhado. A minha irmã mais velha casou com o avô da ex-namorada dela, que está em estado vegetativo por causa de um derrame que ele teve quando o bicho pegou na época do mensalão. Ela abriu sua própria empresa em parceria com um sindicato, um despachante e um cartório, e hoje vende autopeças procedentes de veí­culos desaparecidos de outros Estados. E a minha irmã caçulinha trabalha de dia como atriz nas Brasileirinhas e de noite ajuda a mamãe, só que ainda na fase do atendimento direto ao cliente, pra poder pegar o know-how do negócio a partir da base. A  minha pergunta é a seguinte: você acha que eu devo revelar de uma vez ou ir revelando pouco a pouco pra minha namorada que eu tenho um irmão deputado?

Relaxe porque hoje é sábado.
Recebi por e-mail e compartilho com os leitores do blog.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

IP Eleições 2012: Propostas do 55 para a EDUCAÇÃO (nova proposta)

 
Plano de governo
Coligação 55
“PAZ, UNIÃO, PROGRESSO”
 PSD/PT/PSDB
Educação: Através dos sites oficiais podemos ver a queda do número de alunos matriculados no município nesses últimos 3 anos, precisamos reorganizar a educação do nosso município, descentralizar os profissionais titulares aos seus postos para ministrar dentro da sua área de formação acadêmica e assim ter uma educação de qualidade.

 v Elevar a cobertura do Ensino Fundamental;

v Melhorar as condições físicas, instrumentais e tecnológicas das escolas municipais com espaço especifico para o esporte e recreação, tais como, quadras e salas de jogos;

v Implantar a Rede de Bibliotecas Municipais nos Distritos;

v Continuar com o processo de valorização dos Professores e Servidores da Educação através de programas de qualificação profissional, bem como de habilitação em nível de graduação e pós-graduação;

v Aderir ao programa de Escola em Tempo Integral, prevendo sua ampliação após avaliação dos resultados se estes forem positivos, acrescentando: Aula de música, de dança, teatro, informática e principalmente esporte, como: futebol, basquete, vôlei, ginástica e etc.

v Promover projetos para desenvolver o hábito de leitura, de pesquisas, o prazer do saber do aluno com profissionais qualificados na área.

v Ampliar a rede Municipal de Educação Infantil, com vistas à universalização do atendimento da educação infantil, com padrões mínimos de infra-estrutura adequada a cada faixa etária, no prazo máximo de três anos;

v Buscar parceria junto ao Governo do Estado para ampliar os CEJAS, implantando-os por regiões com instalações e gestões próprias, com vistas à eliminação do analfabetismo funcional e digital;

v Dotar as escolas municipais com padrões mínimos de infra-estrutura para acesso dos alunos inclusos, portadores de deficiências;

v Viabilizar edição de revista em que os educadores possam publicar as atividades e artigos científicos;

v Buscar junto com o Estado uma unidade escolar profissionalizante, para que o aluno descubra sua vocação profissional,

v Reduzir a repetência e a evasão escolar;

v Apoiar os alunos com taxa de inscrição para o vestibular;

v Apoiar as festas e eventos do calendário escolar realizados nas escolas;

v Priorizar a política de Transporte Escolar;

v Especializar um controle de qualidade a merenda escolar;

v Disponibilizar material escolar para o alunado e material didático para as escolas;

v Padronizar o fardamento escolar do aluno;

Comentário


Se você der uma busca geral na internet para fazer uma leitura dos programas de governo para os municípios, de maneira geral vc encontra ações que representam apenas obrigações para qualquer governante. Elas obedecem às tendências, regras e programas das instâncias superiores. Querendo ou não, o município tem que cumprir as exigências do Plano Nacional de Educação (disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10172.htm).

 No meu modesto entendimento, cumprir obrigações é dever. Não cumprir é que é complicado. Portanto não há a menor vantagem ou diferencial nos que dizem que vão fazer o dever de casa.
Cabe à população verificar a qualidade do que se está fazendo, a forma como a lei é cumprida.
Excluindo este grupo de ações/intenções, o que se oferece como diferencial que seja significativo ou que represente alguma inovação?
Tem algumas coisas que não vão acontecer mesmo, como por exemplo, viabilizar edição de revistas. As aulas de música, teatro, esportes diversificados, etc., etc. e etc., também põe na conta do proselitismo. Eliminação do analfabetismo funcional. Sinceramente, quem acredita que isso vai acontecer?
Valorizar professor, essa é que não vai acontecer mesmo. No dia em que isso acontecer realmente em qualquer lugar do Brasil, vai ser a mudança da mudança da mudança. Ou seja, apague. Faça de conta que não leu.
Educação recebe recursos diferenciados e seria saudável que a população fosse notificada onde, quando e como estes recursos são aplicados. Acho que isto está explícito na proposta desde que crava a transparência como princípio e norma de conduta. Não custaria nada, portanto reiterar a proposição no quesito educação.
Educação é, em muitos municípios, uma secretaria desprestigiada, complicada e politicamente utilizada para pequenos favores.
Implantar um modelo de gestão adequado, propor inovações nas práticas, estabelecer e executar critérios de avaliação compatíveis com o que propõe o PNE é um passo significativo. Fazer acontecer exige a reavaliação da atuação dos gestores e a aplicação de reestruturações ousadas que vão cortar na carne de muita gente. Uma secretaria que demanda competência, articulação e firmeza não é coisa para amador.  Além da própria secretaria, a prefeitura tem que mudar radicalmente a sua visão de presente/futuro para investir num projeto de sucesso. A  comunidade precisa ser envolvida e   responsabilizada  por este projeto. Para mudar a educação é preciso mudar a postura de todos os envolvidos no processo.
 
Ou então vamos ficar a preencher relatório que é o que se normalmente se faz para abastecer as planilhas de governo.
ML

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Fui buscar looooooooonge.




Essa é do baú mas a regravação está primorosa.

IP Eleições 2012: Propostas da Coligação 55 para saúde (nova proposta)


Plano de governo
Coligação 55
“PAZ, UNIÃO, PROGRESSO”
 PSD/PT/PSDB

 Saúde: É necessário desenvolver as ações de políticas públicas e fortalecer os programas que dão suporte a saúde da população.
v Ampliar a rede de serviço de atenção básica de saúde;
v Garantir até 2016 o Programa Saúde da Família a toda população;
v Estrutura as equipes de saúde bucal ampliando a cobertura a toda comunidade até 2016;
v Implementar programas de tecnologias simples para melhorar e fortalecer a Vigilância Sanitária epidemiológica e ambiental;
v Promover a redução dos agravos à saúde da população através de identificação dos fatores de risco e territorialização;
v Reduzir a incidência de Tuberculose e Hanseníase com busca ativa de diagnostico e tratamento;
v Colocar profissionais que promovam a qualidade de vida nos PSF, a exemplo as atividades físicas;
v Expandir ações especificas para o atendimento da mulher e agilizar a coleta e resultados de exames de câncer do colo do útero;
 Promover ações de planejamento familiar garantindo acesso aos métodos anticonceptivos;
v Priorizar as ações de promoção a saúde fortalecendo a prevenção;
v Implantar ações voltadas para saúde da Melhor Idade;
v Apoiar as mulheres para fazer o Pré-Natal garantindo o parto;
v Promover a criança cobertura de vacinação, vigilância nutricional e agilizar o teste do pezinho e implantar o teste da orelhinha;
v Implantar ações especificas e promover a saúde dos portadores com necessidades especiais;
v Priorizar o controle e ações especifica para o atendimento aos Diabéticos e Hipertensos;
v Proporcionar uma maior atenção a saúde mental garantindo acesso aos serviços de saúde de alta complexidade hemodiálise e quimioterapia;
v Capacitar os profissionais de saúde;
v Valorizar os Agentes Comunitários de saúde;
v Garantir exames complementares;
v Estruturar e reativar o laboratório;
v Implantar a rede de atenção à saúde do adolescente, combater a gravidez na adolescência e prevenir o vício a droga;
v Reestruturar a unidade hospitalar física e profissional;
v Valorizar o quadro de funcionários da saúde conforme as leis trabalhistas;
v Desenvolver ações de prevenção a Dengue;
v Criar o Comitê de controle da mortalidade infantil;

Comentário


 

Eu tenho um amigo que diz não saber por que eu perco tanto tempo com programas que nunca serão cumpridos porque para isto são feitos. Eu sei que programa de governo é feito para cumprir exigência do TSE. Tanto é assim que ninguém se importa de copiar qualquer coisa de qualquer lugar. Eu insisto por várias razões. Primeiro porque acredito que não sou a única a pensar que a despeito de uma realidade absolutamente adversa  aos valores éticos ainda tem gente que pensa diferente. Gosto de integrar o grupo dos outsiders. Segundo, porque embora todos saibam que o rei está nu, alguém precisa ter coragem de dizê-lo aos que acreditam mais no que ouvem do que no que veem. Os boatos estão aí pra mostrar isso. E terceiro porque gosto de ficção ainda que política.  E ficção é diferente de fé assim como fé é diferente de compromisso.

Mas vamos às propostas para saúde. Nada do que aí está é difícil de realizar. É limitado? É. Resta saber se há vontade política de fazer pelo menos isso.

Não é segredo para ninguém que a saúde de IP é um desastre e este problema vem se arrastando há muito tempo. Basta parar e pensar que fora dos programas do Governo Federal e Estadual, não há iniciativas locais para melhorar a saúde.

Só para chamar a atenção para o descompasso, como é que o programa acima em nenhum momento acena com a possibilidade de criar estratégias para acabar com a medicina itinerante.Que propõe concretamente a fazer no sentido de ampliar o atendimento em áreas afins que dão suporte aos tratamentos que demandam outras competências e serviços complementares?  Vai-se continuar fazendo o de sempre. Ou seja, não há efetivamente vontade de mudar.

Saúde é possivelmente o maior problema do município porque diz respeito à vida das pessoas.

Como é que entra e sai gestão,  entra e sai e sai e entra, de novo, outra vez e nada absolutamente nada muda na saúde de IP.

PelamordeDeus, são os mesmos grupos que se revezam na política e ninguém leva a sério a saúde do município.
N I N G U E M.

Digo sem receio: a saúde em IP é um desacato. É humilhante. E se estou aqui falando é porque nós temos um passado a comprovar as afirmações que faço. Eu gostaria de acreditar que depois do desastre que causaram à saúde em IP, apareça alguém disposto a mudar alguma coisa. Neste caso, eu estou olhando para as pessoas e grupos que concorrem à prefeitura. São as mesmas pessoas dos mesmos grupos. Por que desta vez fariam diferente?
ML