terça-feira, 30 de setembro de 2008

Alô PMDB, aguardamos o seu programa de governo para Ip.

Estivemos fora do ar por alguns dias porque o meu PC teve problemas no HD. Voltamos, hoje, com a publicação do Programa do PT para a Prefeitura Municipal de Ipaumirim.
Aguardamos o envio do programa do PMDB para publicarmos antes da eleição. É de fundamental importância que o eleitor conheça o programa dos candidatos.

PROGRAMA DE GOVERNO DO PARTIDO DOS TRABALHADORES (PT) DE IPAUMIRIM - CEARÁ/ QUADRIÊNIO 2009-2012



REGISTRADO NO CARTÓRIO DO 2º OFICIO DE IPAUMIRIM EM 29 DE SETEMBRO DE 2008 ÀS 10:00 H SOB PROTOCOLO Nº 4033 FLS 275 V NO LIVRO B-16 FLS 175/178 SOB O Nº 2539.


APRESENTAÇÃO

A eleição que acontecerá em 05 de outubro de 2008, marcará profundamente a vida de Ipaumirim. Este ano os eleitores terão a oportunidade de finalmente escolher e eleger um governo democrático, participativo e comprometido com o crescimento de nossa cidade.
Assim sendo, os candidatos Leylton Nóbrega Nery e Rubens Dário (Maninho), representando a Coligação O Futuro é a Gente que Faz – PT (Partido dos Trabalhadores), apresentam este Programa de Governo assumindo um compromisso com toda a população da cidade de Ipaumirim, Ceará.
Este Programa de Governo foi construído nestes dois meses de campanha. Trata-se de um projeto coletivo onde houve representação expressiva da população que compareceu de forma participativa e não só reivindicou como apresentou sugestões, demonstrando os seus anseios e a confiança depositada nas candidaturas de Leylton para Prefeito e Maninho para Vice-Prefeito pelo Partido dos Trabalhadores.
Na luta pela melhoria da qualidade de vida de nossa cidade, o Programa de Governo da Coligação O Futuro é a Gente que Faz é o resultado de um amplo debate com diferentes segmentos da sociedade de Ipaumirim. O Programa estabelece as diretrizes e as medidas inovadoras que serão tomadas no novo governo. Para que um governo tenha ações é necessário ter um diagnóstico amplo dos principais problemas da cidade, a fim de ampliar a construção de propostas concretas e possíveis para que se encontrem soluções.
Aqui nós firmamos juntos, como cada tijolo de uma construção ao agregar-se a massa. Precisamos ser resistentes e acima de tudo acreditar nas nossas potencialidades. Os acabamentos serão realizados depois das prioridades.
A vontade de fazer uma cidade cada vez melhor, esta sim, será assim a base mais forte do nosso relacionamento, porque o futuro é a gente que faz.


COMPROMISSO COM O TURISMO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL.

Todos nós sabemos quais as belezas naturais que existem em Ipaumirim e as suas potencialidades turísticas e comerciais. Pela primeira, em nosso município, estaremos implementando uma política publica voltada para o crescimento com desenvolvimento sustentável.
Isso significa dizer gerar emprego e renda respeitando os impactos ambientais deles decorrentes, ou seja, crescer economicamente e socialmente buscando o desenvolvimento com a conservação e a preservação ambiental. O que precisamos é buscar as possibilidades de desenvolver, investir e cuidar melhor da cidade.


PROGRAMA DE GOVERNO DO PARTIDO DOS TRABALHADORES (PT) DE IPAUMIRIM – CEARÁ - QUADRIÊNIO 2009 – 2012.


As Propostas de Governo para a área do Turismo e Desenvolvimento Sustentável são:

1. Implantação de um Programa de valorização e de incentivos ao turismo ecológico, eco turismo e educação ambiental com noções de desenvolvimento sustentável;
2. Atuar em parceria com os governos estadual e federal, para viabilização de uma política de investimentos e financiamentos direcionada às empresas interessadas em se estabelecer no município;
3. Criação da Agência Municipal de Turismo e Desenvolvimento Sustentável, que vai estabelecer medidas a serem tomadas para o desenvolvimento e fortalecimento do mercado local, e fornecer os subsídios técnicos necessários para consolidação dos projetos a serem implantados pela prefeitura, priorizando o comercio local e o desenvolvimento sustentável;
4. Elaborar o diagnóstico da cadeia produtiva do turismo no município;
5. Incentivo ao turismo rural dando visibilidade a fundação histórica da cidade;
6. Implantação do Plano Diretor participativo;
7. Atuar junto aos governos Estadual e Federal para captar recursos para eventos de grande envergadura para o município;
8. Estimular a consciência ambiental;
9. Projeto de urbanização nos Distritos de Felizardo, Canaúna e Aroeira;
10. Recuperação e melhoramento do acesso à Pedra de São Sebastião.
11. Apoiar e estimular ações e projetos que levem a promoção do Turismo Científico e Religioso...


COMPROMISSO COM EMPREGO, RENDA E AGRICULTURA.


A Política de Emprego e Renda de nossa administração será voltada para a formação do trabalhador no mercado profissional. Esta reintegração não passa apenas pelo mercado formal de trabalho, mas busca despertar no indivíduo novas possibilidades, a exemplo do trabalho autônomo, cooperativismo e até mesmo micro empresarial.

PROGRAMA DE GOVERNO DO PARTIDO DOS TRABALHADORES (PT) DE IPAUMIRIM – CEARÁ - QUADRIÊNIO 2009 – 2012.


As propostas para a área do Emprego, Renda e Agricultura são:

Implantação de uma Política de Incentivos Fiscais e de Investimento em Infra-Estrutura Econômica em parceria com os governos do Estado e Federal, visando atrair investimentos que consolidem Ipaumirim como mini-pólo da agroindústria;
Implantação do Programa NOSSO EMPREGO;
Revitalização da Feira Livre atraindo os produtores locais, que serão espaços destinados especificamente para os agricultores concentrados nos sítios, com fins de facilitar a comercialização de produtos hortifrutigranjeiros;
Política de controle dos produtos hortifrutigranjeiros “in natura”;
Reorientação da merenda escolar através do Projeto de Alimentação Escolar priorizando produtores e comerciantes do município;
Melhorar as estradas rurais com construção de estradas, passagens molhadas, abastecimento d’água, postos de saúde, energia elétrica, telefonia e construção de açudes para dar suporte a projetos de irrigação;
Parceria com Associações Comunitárias que possuem tratores para baratear o corte de terra;
Construção de casas populares na zona rural;
Projetos de incentivos a criação de bovinos, caprinos, ovinos, suínos, a apicultura, a piscicultura e a avicultura.
Melhorar a ação da assistência técnica, junto às comunidades rurais, através de parcerias com a EMATER, o INCRA, o Ministério do Desenvolvimento Agrário, Instituições de Ensino Técnico e de Nível Superior de Agronomia e de Medicina Veterinária e com as cooperativas de profissionais que prestam serviços relacionados ao presente Setor, haja vista a disponibilização, através de convênios, de recursos financeiros do PRONAF para fins de assistência técnica;
Promover o zoneamento do meio rural;
Aquisição do leite, mel, frutas e outros alimentos produzidos no município para merenda escolar, incentivando também a hortifruticultura;
Implantar um Programa de valorização e de incentivos a indústria e comércio, atuando em parceria com os governos estadual e federal, para a viabilização de uma política de investimentos e financiamentos direcionada às empresas interessadas em se estabelecer no município;
Incentivo a empréstimos para custeio...

PROGRAMA DE GOVERNO DO PARTIDO DOS TRABALHADORES (PT) DE IPAUMIRIM – CEARÁ - QUADRIÊNIO 2009 – 2012.


COMPROMISSO COM A EDUCAÇÃO


Respeitar o Estatuto da Criança e do Adolescente e erradicar o Trabalho Infantil será algumas das prioridades do nosso governo
As propostas para a área da Educação são:

Aumentar o número de creches existente para atender as crianças de zero a três anos;
Investir no acesso de todas as crianças à pré-escola;
Atender plenamente as necessidades da comunidade, dando ênfase aos aspectos: administrativos - com vistas à gestão democrática; e, pedagógicos - visando à inserção social e cultural da comunidade por meio de ações educativas;
Modernizar a infra-estrutura física das unidades escolares do município, equipando-as para a prática de educação física, esporte, recreação, leitura, etc;
Implantar laboratório de informática nas escolas municipais;
Capacitação de professores;
Reabertura de creches e escolas na zona rural, conforme necessidade;
Estabelecer padrões mínimos de funcionamento e qualidade do ensino nas escolas de ensino fundamental, educação infantil e creches;
Implantar programa de formação e qualificação continuada dos profissionais da educação;
Criação do cursinho de pré-vestibular público;
Consolidar a gestão democrática em todas as escolas e creches, visando estabelecer um intercâmbio proveitoso entre o sistema educacional e a sociedade;
Reestruturar e melhorar a Política de Transporte Escolar para atender mais localidades;
Ampliar, em parceria com os Governos Federal e Estadual, a oferta de vagas para a Educação Especial;
Criação da Secretaria Municipal de Cultura...


COMPROMISSO COM A SAÚDE

Nossa proposta é um novo modelo de Saúde para Ipaumirim.
Para a área da saúde pretendemos:

Garantir a humanização dos serviços de saúde, através de reciclagem e cursos de formação profissional e de relações humanas para médicos e profissionais de saúde do hospital e dos postos de saúde, visando melhorar o atendimento à população usuária;
Garantir uma política de aquisição de materiais de consumo às unidades de saúde e criar serviços de manutenção preventivos nos equipamentos da rede pública;
Equipar o hospital e investir na realização de exames mais complexos;

PROGRAMA DE GOVERNO DO PARTIDO DOS TRABALHADORES (PT) DE IPAUMIRIM – CEARÁ - QUADRIÊNIO 2009 – 2012.

Melhorar o Atendimento Odontológico;
Realização de cirurgias de médio porte (cirurgias de vesícula, períneo, histerectomia e de hérnias) supervisionadas por equipe médica coordenada por Dr. Osmar Arruda;
Reduzir a espera por consultas e exames;
Melhorar a integração entre os vários equipamentos e a informação sobre os serviços;
Ampliar o Programa Saúde da Família nas áreas urbana e rural;
Incrementar as ações de saúde voltadas a públicos diversos como crianças, adolescentes, homens, mulheres, idosos, GLBT;
Criar e implantar uma Coordenadoria de Política de Medicamentos, responsável pela gestão de medicamentos (licitação, compra, distribuição, armazenamento, farmacovigilância), visando garantir o fornecimento ininterrupto dos mesmos nos centros de saúde e no hospital;
Implementar projetos de educação em saúde;
Garantir educação em saúde às gestantes e mães, dentro do programa materno-infantil, com ações preventivas e individuais dirigidas às crianças de 0 a 5 anos;
Campanhas Educativas, através de cartilhas de saúde e de programas o rádio, para divulgar os serviços oferecidos pelas unidades de saúde;
Garantir o atendimento odontológico para adulto e criança da zona rural;
Gestão participativa para que possamos atingir o que é possível;
Casa de apoio em Fortaleza;
Ambulâncias em perfeito estado de funcionamento;
Referências para os hospitais mais próximos e mais capacitados;
Dotar o hospital de comunicação visual a fim de ser mais bem identificado...


COMPROMISSO COM A ASSISTÊNCIA SOCIAL

Queremos uma sociedade construída junto com os nossos semelhantes tratando-os como seres humanos, com sensibilidade, respeito e dever de justiça para todos. Sendo assim, são esses os nossos compromissos com a Assistência Social:

Elaboração e implantação de um programa de combate a desnutrição e mortalidade infantil;
Manutenção dos Programas do Governo Federal, a exemplo do Bolsa Família, Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI), dentre outros;
Elaboração e implantação do programa de Alimentação Alternativa, elaborado através da multimistura de componentes nutricionais de baixo custo, visando ao fornecimento de complemento alimentar e nutricionais às crianças em situação de risco social;
Ampliar a rede de proteção social e programas voltados para crianças e adolescentes em situação de rua e suas famílias;

Investir sempre no pleno desenvolvimento e autonomia das pessoas...

PROGRAMA DE GOVERNO DO PARTIDO DOS TRABALHADORES (PT) DE IPAUMIRIM – CEARÁ - QUADRIÊNIO 2009 – 2012.

COMPROMISSO COM A SEGURANÇA

O sentimento de medo e insegurança diante da violência urbana e do crime organizado está se generalizando em toda a sociedade brasileira. Nossas propostas para a Segurança são:

Criação da Guarda Municipal com viaturas e capacitação dos guardas;
Criação e implantação do Conselho Municipal de Segurança Pública, que serão responsáveis por definir, em conjunto com a guarda municipal, as prioridades de investimento em segurança em cada região da cidade;
Eficiência, planejamento, descentralização, transparência, participação popular, controle social e parcerias;

COMPROMISSO COM O ESPORTE, CULTURA E LAZER

Nas perspectivas de redes democráticas é importante formar espaços estratégicos para que governo e sociedade civil possam implementar a política de proteção e garantia dos direitos de crianças, adolescentes, portadores de necessidades especiais e idosos previstas no ECA, Estatuto do Idoso, na Constituição e nos avançados programas do governo Federal pela “Inclusão”. Sendo assim, nossas propostas para a o Esporte, Cultura e Lazer são:

Ampliar o número de espaços públicos de esporte, recreação e lazer, priorizando as regiões mais carentes e as populações em situação de risco social;
Garantir o apoio logístico para o desenvolvimento do futebol amador;
Novo campo de futebol para o Distrito de Felizardo;
Carnaval fora de época (Micaramirim) totalmente modificado;
Adquirir, melhorar e recuperar os equipamentos públicos de esporte, recreação e lazer;
Reformas nas praças;
Construção de polos de lazer;
Promover a formação e capacitação permanente de monitores e agentes sócio-recreativos públicos e comunitários, para atuarem como multiplicadores de ações de esporte e lazer juntos às comunidades;
Construção do Estádio Municipal;
Implantação de Escolinhas de Futebol;
Implantação de Festivais de Músicas, Teatro e Violeiros;
Revitalização da festa do município;
Apoiar as festas populares, em especial as quadrilhas durante as festas juninas...

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

O presente infindável

Frei Betto

No século XX, a arte cinematográfica introduziu um novo conceito de tempo. Não mais o conceito linear, histórico, que perpassa a Bíblia e, também, as obras de Aleijadinho ou Sagarana, de Guimarães Rosa. No filme, predomina a simultaneidade. Suprimem-se as barreiras entre tempo e espaço. O tempo adquire caráter espacial, e o espaço, temporal. No cinema, o olhar da câmara e do espectador passa, com toda a liberdade, do presente para o passado e, deste, para o futuro. Não há continuidade ininterrupta.
A TV, cujo advento ocorreu no fim da década de 1930, leva isso ao seu paroxismo. Frente à simultaneidade de tempos distintos, a única âncora é o aqui-e-agora do (tele)espectador. Não há durabilidade nem direção irreversível. A linha de fundo da historicidade - na qual se apóiam o relato bíblico e os paradigmas da modernidade, incluindo um de seus frutos diletos, a psicanálise - dilui-se no coquetel de eventos onde todos os tempos se fundem. Dercy Gonçalves está morta e, sobre sua tumba, os clipes a exibem viva, interpretando sua personagem irreverente e desbocada.
Aos poucos o horizonte histórico se apaga como as luzes de um palco após o espetáculo. A utopia sai de cena, o que permite aos filósofos da desgraça vaticinarem: "A história acabou". Ao contrário do que adverte Coélet, no Eclesiastes, não há mais tempo para construir e tempo para destruir; tempo para amar e tempo para odiar; tempo para fazer a guerra e tempo para estabelecer a paz. O tempo é agora. E nele se sobrepõem construção e destruição, amor e ódio, guerra e paz.
A felicidade, que em si resulta de um projeto temporal, reduz-se então ao mero prazer instantâneo, epidérmico, derivado, de preferência, da dilatação do ego (poder, riqueza, fama etc.) e dos "toques" sensitivos (ótico, epidérmico, gustativo etc.). A utopia é privatizada. Resume-se ao êxito pessoal. A vida já não se move por ideais nem se justifica pela nobreza das causas abraçadas. Basta ter acesso ao consumo que propicia valor e conforto: uma boa posição social, a casa na praia ou na montanha, o carro de luxo, o kit eletrônico de comunicações (telefone celular, computador etc.), as viagens de lazer. Uma ilha de prosperidade e paz imune às tribulações circundantes de um mundo movido à violência. O Céu na Terra - prometem a publicidade, o turismo, o novo equipamento eletrônico, o banco, o cartão de crédito etc.
Nem a fé escapa à subtração da temporalidade. O Reino de Deus deixa de situar-se "lá na frente" para ser esperado "lá em cima". Mero consolo subjetivo, a fé reduz-se à esperança de salvação individual.
Graças às novas tecnologias de comunicação, agora o tempo está confinado ao caráter subjetivo. Experimentá-lo é ter uma consciência tópica do presente. Se na Idade Média o sobrenatural banhava a atmosfera que se respirava e, no Iluminismo, a esperança de futuro justificava a fé no progresso, agora importa o presente imediato. Busca-se, avidamente, a sua perenização. Somos todos eternamente jovens, cultuamos o corpo como quem sorve o elixir da juventude. Morreremos todos saudáveis e esbeltos...
Pulverizam-se os projetos nesse tempo cíclico, onde no mesmo rio corre sempre a mesma água. Outrora, havia namoro, noivado e casamento. Agora, fica-se. Após anos de casado, pode-se voltar ao tempo de namoro e, de novo, ao de casado.
A destemporalização da existência alia-se à desculpabilização da consciência. Uma mesma pessoa vive diferentes experiências sem se perguntar por princípios éticos, políticos ou ideológicos. Não há pastores e bispos corruptos e utopias que resultaram em opressão? A TV não mostra o honesto de ontem pilhado na vigarice de hoje? O bandido não faz gestos humanitários? Onde a fronteira entre o bem e o mal, o certo e o errado, o passado e o futuro?
"Tudo que é sólido se desmancha no ar" irrespirável dessa pós-modernidade, cuja temporalidade fragmenta-se em cortes e dissolvências, close-ups e flash-backs, muitas nostalgias (vide a bossa nova) e poucas utopias.
Se há algo de positivo nessa simultaneidade, nesse aqui-e-agora, é a busca da interioridade. Do tempo místico como tempo absoluto. Tempo síntese/supressão de todos os tempos. Eis que irrompe a eternidade - eterna idade. Pura fruição. Onde a vida é terna.
Nas artes, música e poesia se aproximam, de modo exemplar, dessa simultaneidade que volatiliza o tempo, imprimindo-lhe caráter atemporal. Na música, nossos ouvidos captam apenas a articulação de umas poucas notas. No entanto, perdura na emoção a lembrança de todas as notas que já soaram antes. Em si, a melodia é inatingível, assim como o poema, uma sucessão rítmica de sílabas e palavras sutis. O que existe é a ressonância da nota e da palavra em nossa subjetividade. Então, a seqüência se instaura em nós. Não é o tempo fatiado em passado, presente e futuro. É o presente infindável. O tempo infinito. Como no amor, em que o cotidiano é apenas a marcação ordinária de uma inspiração extraordinária.

Frei Betto é escritor, autor de "A obra do Artista – uma visão holística do Universo" (Ática), entre outros livros.

domingo, 21 de setembro de 2008

Casablanca

video

Ado - a - ado


Outro dia, eu li um texto sobre candidatos que prometem mundos e fundos. A crônica tinha uma pitada de desencanto, o que não é raro quando se fala em decência. A bem da verdade, os políticos trazem essa inesgotável capacidade de decepcionar seus eleitores. Claro que nem todos calçam 40 mas a grande maioria arranja um jeito de alterar o tamanho do seu pé e chegar à medida certa.
A política interiorana transita com maestria no território das promessas. O clima de intimidade, do arranjo político, do apadrinhamento, dos favores prestados e a própria vida comunitária favorecem a escolha baseada em sentimentos e afetividades.
A promessa é íntima, traz aquele tom de cumplicidade de quem tem um passado comum e reivindica em causa própria.
O eleitor quer ser mimado agora, tem que ser já. E vale prometer uma estrada, um serviço de trator, uma passagem, tijolos, dentadura, óculos, cachaça e tudo o que se pode imaginar. Haja criatividade para atender a tantas demandas. Aliás, criatividade e grana.
A promessa parece ter sido feita para o mundo da política. É uma quase jura, se possível com um pequeno adiantamento como garantia. De preferência em cash. Nelson Rodrigues dizia que “dinheiro compra tudo, até amor verdadeiro.”
A promessa é tática. A proposta é estratégica, impessoal, tem a força do que é coletivo. Demanda programas bem estruturados, muita informação, diagnósticos precisos, conhecimento de causa. Não se detém nem se intimida diante dos espertos e mimosos, contempla a todos. Exige competência de quem a formula. Abre as tradicionais feridas paroquiais, mexe com as exclusividades, desmoraliza o fuxico das esquinas. É clara, lúcida, abrangente, comprometida com a cidadania. Tem objetividade, clareza e transparência. Tem tudo que a politicagem e a incompetência abominam.
Em vésperas de eleições a hora é do vale tudo principalmente quando as campanhas têm como objetivo único ocupar as prefeituras. Nem precisa ser letrado para saber que muitos foram chamados mas poucos serão os escolhidos. Com a abertura das urnas chega a hora da esperteza. Salve-se quem puder.
Os compromissos se diluíram na ressaca da vitória. Todo mundo derrapa no jurou mas não cumpriu. Poucos serão os escolhidos. É a hora de voltar “cada um ao seu quadrado”.

ML
Recife - PE

Conhecendo a vizinhança: Bom Jesus

Histórico

Segundo informações e pesquisas, a cidade de Bom Jesus é relativamente recente; seu início foi por volta de 1890 com a criação da Fazenda Aroeiras de propriedade do Sr. Antônio Caetano com a criação da Diocese de Cajazeiras em 1914, houve uma demanda de vigários pelo interior do município de Cajazeiras, então apareceu em Aroeiras, no período de 1912 a 1918 o dinâmico vigário conhecido na época por Padre Lopes. O qual interessou-se em construir uma capela nesta fazenda, já povoada, sendo de sua preferência o então sítio Forquillha, porém o Sr. Francisco Eufrásio não concordou, isto é, não cedeu o terreno exigido pelo padre Lopes. Mesmo assim o padre não desistiu, porque seu ideal era a primeira Capela no Município de Cajazeiras, no povoado Aroeiras.
De fato realizou seu plano, nesse mesmo período de 1912 a 1917, notadamente junho de 1917, convocou uma reunião com os mais interessados do povoado, a mesma ficou clara que: Antônio Caetano, proprietário com parte na Paraíba e Antônio Gonçalves Moreira, proprietário com parte no Ceará, doariam o terreno (Este povoado está localizado na divisa dos Estados da Paraíba e do Ceará).
Esses dois proprietários demonstraram boa vontade e doaram o terreno ao Patrimônio para a construção da capela cuja área passou a pertencer a Paróquia de N.S. de Fátima, num total de 440 m² cujos limites são: Ao Leste com a cidade de Cajazeiras ao Oeste com a Ipaumirim, ao Norte com Santa Helena e ao Sul com Cachoeira dos Índios e distância de João Pessoa 505 Km.
Construíram a Capela, o povoado cresceu, a população começou a participar, o vigário Padre Lopes desenvolveu várias atividades, programou de início o Padroeiro da cidade que hoje continua o mesmo: Sagrado Coração de Jesus.
Organizou também o núcleo do Apostolado da Oração que chegou a compor-se de 110
associados. Os devotos da época eram: João Vicente, Antônio Gonçalves, Doca Carlos e tantos outros.
Com a participação dos habitantes realizava a chamada de "13 de junho" com o encerramento da trezena (13 noites de Novena) cujas festas eram bem concorridas feita em divisões: noite dos artistas, alfaiates, carpinteiros, comerciantes etc. Os organizadores da época: Antônio Gonçalves Moreira, João Vicente, Doca Carlos, Firmino de Brito e tantos outros. Esse movimento era coordenado pelo zeladorda Igreja, Joaquim de Brito Lira, esse período não foi muito longo, visto que desapareceram o vigário e os mais antigos interessados.
O povoado entrou numa fase de decadência por muitos anos. Depois de um longo período o povoado voltou a obter um elevado progresso econômico com a implantação de uma pequena Usina de beneficiamento de algodão do Sr. Sebastião Bandeira de Melo, esta Usina (IPU), ofereceu vários empregos para a comunidade, com a mesma surgiu uma movimentada feira, que foi constatada como uma das melhores da região, no período de 1920 a 1933, a qual ficou conhecida como: "A era de 20".
Passado esse período, por questões ignoradas o Sr. Sebastião Bandeira de Melo, vende a Usina de
Algodão, para outra cidade e poucos anos depois foi extinto a conhecida feira, o povoado ficou na pobreza até meados de 1957.
Com o êxito do ex-prefeito de Cajazeiras, Sr. Antônio Cartaxo Rolim, o povoado passou a ser lembrado pelo poder público cajazeirense.
O Sr. Antônio Cartaxo Rolim, prefeito da cidade de Cajazeiras na época, instalou em Bom Jesus o primeiro motor gerador de energia elétrica, construiu o grupo escolar Antônio Gonçalves Moreira e instalou uma linha telefônica ligando o Distrito a Cajazeiras, obras de grande importância naquela época.
Gentílico: bom-jesuense
Formação Administrativa
Distrito criado com a denominação de Bom Jesus, pela lei municipal nº 185, de 08-07-1959, subordinado ao município de Cajazeiras.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o distrito de Bom Jesus, figura no município de Cajazeiras.
Elevado à categoria de município com a denominação de Bom Jesus, pela lei estadual nº 3096, de 05-11-1963, desmembrado de Cajazeiras. Sede no atual distrito de Bom Jesus. Constituído do distrito sede. Instalado em 10-11-1964.
Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído do distrito sede.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Fonte: biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/dtbs/paraiba/bomjesus.pdf

Lábio leporino

O Departamento de Epidemiologia da Secretaria de Saúde do Crato comunica que até o próximo domingo, 28, está sendo realizada a Campanha de Cirurgia de Lábio Leporino e Fenda Palatal, no Hospital Albert Sabin, em Fortaleza, em pacientes de 6 meses até 18 anos incompletos. A Secretaria de Saúde do Crato solicita o comparecimento dos interessados para encaminhamento o mais rápido possível. No horário de 8 às 14h, em sua sede, na rua 7 de Setembro, no Centro Administrativo da Prefeitura do Crato, no bairro São Miguel.

Fonte: http://www.opovo.com.br/opovo/colunas/cariri/

sábado, 20 de setembro de 2008

Álbum da semana

Zé Nilson e Socorro Vieira
(c/ as gatinhas de Arabelle)

Maria e Jarismar Gonçalves

Esta é a armação do que foi um altar em forma de asa delta construído na Pedra de São Sebastião quando Miraneudo foi prefeito. O tempo, as intempéries, o descuido e os bárbaros de plantão conseguiram deixá-lo assim. Só para lembrar, quem procura nos sites do governo encontra dotações orçamentárias para o turismo em Ip. Que eu saiba, Ip só tem de turismo a Pedra de São Sebastião.
Eu, hein !!!???

Zélia
(Zélia Modas)


Sônia, Sêmia e Magna


Laíres Gonçalves
(Peguei no orkut de Magna, fotos de Moagem )

Moagem


Moagem


Magna e Jáder

Luiz Antonio, Luizita e Sêmia


Luci Gonçalves

Iraci Romão e seu neto Rafael


Caio Josué

Zélia e Aurina


Alderi Gonçalves

O doutor D’Hondt e você

Roberto Pompeu de Toledo

"O sistema brasileiro de eleição proporcional situa-se bem acima da capacidade média dosistema operacional do cérebro humano"

E lá vamos nós, outra vez. Não deve haver muitos países no mundo em que o eleitor é convidado a pinçar numa lista de extensão oceânica um candidato do qual, se não é seu parente, teve apenas escassas referências, e designá-lo para exercer uma função que sabe de antemão caracterizar-se, na melhor das hipóteses, pela inocuidade, e, na pior, por oferecer posição vantajosa para a prática de ilícitos. É o que estamos convidados a fazer – aliás, intimados, já que o voto é obrigatório – na eleição para vereador. Em quem devo votar? Você tem alguma indicação? Na véspera da eleição, estabelece-se uma aflita corrente em que se faz a ronda dos conhecidos. Quem sabe dessas consultas se consiga extrair o nome de um candidato capaz, ou pelo menos não incurso em algum artigo do Código Penal. Não deve haver muitos países em que o eleitor é induzido a votar às cegas. É o caso do Brasil, campeão da esbórnia partidário-eleitoral, nas eleições para vereador, deputado federal e deputado estadual.

A esbórnia começa na quantidade de partidos com existência legal no país: 27. Vinte e sete! Do amontoado obeso e incongruente de partidos derramaram-se neste ano, pelos 5 563 municípios brasileiros, 348 047 candidatos a vereador (348 047!) – 1 224 no Rio de Janeiro (1 224!), 1 077 em São Paulo (1 077!), 1 030 em Belo Horizonte (1 030!). Haja ponto de exclamação para dar conta da magnitude dos números! E haja paciência e discernimento do eleitor para encontrar, nesse palheiro, a agulha salvadora do candidato mais de acordo com seu gosto. Da superlotação das listas partidárias resulta esse desafio para o olho e a atenção que é o entra-e-sai dos candidatos no horário eleitoral. Acresce que os partidos não ajudam, ao peneirar seus representantes, e então, a cada ano, temos o conhecido desfile de rostos que parecem herdados do portfólio do selecionador de elenco do saudoso Federico Fellini, ou do PowerPoint do doutor Cesare Lombroso.

As diabruras do sistema não terminam aí. O eleitor pensa que vota num nome, mas é engano; vota antes num partido. Vota em Fulano, mas acaba elegendo Sicrano. O 1,6 milhão de eleitores paulistas que votaram em Enéas Carneiro para deputado federal em 2002 acabou elegendo outros cinco candidatos do mesmo partido, um deles com o cacife de 200 votos. Inversamente, os 38 000 paulistas que votaram em Delfim Netto em 2006 não foram suficientes para elegê-lo, mas ajudaram outros candidatos do PMDB a eleger-se. São artimanhas do coeficiente eleitoral. O leitor o conhece? Devia conhecê-lo, pois é ele, com esse nome de aterrorizar vestibulando, que decide a parada. Façamos as apresentações. O quociente eleitoral é a divisão do total dos votos válidos (todos, menos os nulos) pelo número de cadeiras em jogo. Assim, suponhamos que no Rio de Janeiro haja 3,5 milhões de votos válidos. Como a Câmara de Vereadores local possui cinqüenta cadeiras, faz-se a divisão de 3,5 milhões por 50 e chega-se ao coeficiente eleitoral de 70.000. Cada partido obterá uma cadeira a cada 70.000 votos que venha a somar. Se o partido X somou 140.000 votos, terá duas cadeiras.

Simples, não? Bem... Dificilmente um partido obterá exatamente o dobro do coeficiente eleitoral. Digamos que obtenha 150.000 votos. Terá direito então, como resultado da divisão de 150.000 por 70.000, a 2,14 cadeiras. Que fazer desse 0,14 de cadeira? Aqui entra um fator novo nessa história – o cálculo de D’Hondt. D’Hon...??? Façamos as apresentações. Victor D’Hondt foi um jurista belga, criador do sistema pelo qual se distribuem as sobras no sistema proporcional. Funciona assim:… Não. As apresentações ficam por aqui. D’Hondt nos ultrapassa. O leitor que quiser beber da sapiência do belga que vá fazê-lo, com todo o respeito, em outra freguesia.

E assim chegamos a uma primeira e crucial conclusão: o sistema brasileiro de eleição proporcional situa-se bem acima da capacidade média do sistema operacional do cérebro humano. A segunda conclusão é que não se pode encarar a sério um sistema que não se compreende; se os parlamentos são o que são, no Brasil, em grande parte é pelo modo como são eleitos. A terceira conclusão não é conclusão, é um apelo: que se invente outro modelo. É a sobrevivência do regime representativo que está em jogo
Enviado por Flávio Lúcio

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Bibliotecas do Mundo

Mude sua rotina virtual. A internet é muito mais que o orkut e o msn. Recebi
a lista de um amigo e compartilho com vocês. Alguns sites eu já entrei e valeu a pena.

BIBLIOTECAS DO MUNDO
Biblioteca Nacional (Brasil) - o site é referência para todas as bibliotecas > do país, com farta documentação e imagens digitalizadas, além de informações > e serviços: http://www.bn.br/
Bibliotecas da cidade de São Paulo - a cidade tem a maior rede de > bibliotecas públicas do país, e uma visita ao site é imprescindível para conhecer suas coleções e serviços, com destaque para as obras e imagens digitalizadas da Biblioteca Mário de Andrade: http://www2.prefeitura.sp.gov.br/secretarias/cultura/bibliotecas/0023
Biblioteca Mario de Andrade (a mais importante de São Paulo, esta a mais importante cidade da América do Sul)
Bibliotecas virtuais do sistema MCT/CNPq/Ibict - grande referência na área de bibliotecas virtuais, é o site mais importante no Brasil de informação e comunicação sobre ciência e tecnologia: http://www.prossiga.br/
Bibliotecas das universidades públicas paulistas - o consórcio Cruesp/Bibliotecas interliga Unesp, Unicamp e USP, e o internauta pode consultar as mais importantes bibliotecas universitárias do país, referências para diferentes campos da pesquisa:
Biblioteca Apostólica Vaticana - biblioteca que possui um arquivo secreto: bav.vatican.va
Biblioteca Central - localize os livros das bibliotecas da UFRGS: http://www.biblioteca.ufrgs.br/
Biblioteca del Congreso - item Expo Virtual mostra alguns tesouros dessa biblioteca argentina: http://www.bcnbib.gov.ar/
Biblioteca Digital Andina - Bolívia, Colômbia, Equador e Peru estão representados: www.comunidadandina.org/bda
Biblioteca Digital de Obras Raras - livros completos digitalizados, como um > de Lavoisier editado no século 19: http://www.obrasraras.usp.br/
Biblioteca do Hospital do Câncer - índice desse acervo especializado em > oncologia: www.hcanc.org.br/outrasinfs/biblio/biblio1.html
Biblioteca do Senado Federal - sistema de busca nos 150 mil títulos da biblioteca: www.senado.gov.br/biblioteca
Biblioteca Mário de Andrade - acervo, eventos e história da principal biblioteca de São Paulo: www.prefeitura.sp.gov.br/mariodeandrade
Biblioteca Nacional de Portugal - apresenta páginas especiais com reproduções relacionadas a Eça de Queirós e a Giuseppe Verdi, entre outros: http://www.bn.pt/
Biblioteca Nacional de España - entre as exposições virtuais, uma > interessante coleção cartográfica do século 16 ao 19: http://www.bne.es/
Biblioteca Nacional de la República Argentina - biblioteca, mapoteca e > fototeca: http://www.bibnal.edu.ar/
Biblioteca Nacional de Maestros - biblioteca argentina voltada para a > comunidade educativa: http://www.bnm.me.gov.ar/
Biblioteca Nacional del Perú - alguns livros eletrônicos, mapas e imagens: http://www.binape.gob.pe/
Biblioteca Nazionale Centrale di Roma - expõe detalhes de obras antigas de > seu catálogo: http://www.bncrm.librari.beniculturali.it/
Biblioteca Româneasca - textos em romeno e dados sobre autores do país: biblioteca.euroweb.ro
Biblioteca Virtual Galega - textos em língua galega, parecida com o português: bvg.udc.es
Bibliotheca Alexandrina - conheça a instituição criada à sombra da famosa biblioteca, que sumiu há mais de 1.600 anos: www.bibalex.org/website
California Digital Library - imagens e e-livros oferecidos pela Universidade da Califórnia: http://www.californiadigitallibrary.org/
Celtic Digital Library - história e literatura celtas: http://www.celtdigital.org/
Círculo Psicanalítico de Minas Gerais - acervo especializado em psicanálise: > www.cpmg.org.br/n_biblioteca.asp
Cornell Library Digital Collections - compilações variadas, sobre agricultura e matemática, por exemplo: http://www.moa.cit.cornell.edu/
Corpus of Electronic Texts - história, literatura e política irlandesas: www.ucc.ie/celt
Crime Library - histórias reais de criminosos, espiões e terroristas: http://www.crimelibrary.com/
Biblioteca Digital - em espanhol, apresenta livros e revistas de "todas as disciplinas": www.educ.ar/educar/superior/biblioteca_digital
Gallica - Bibliothèque Numérique - volumes da Biblioteca Nacional da França digitalizados: http://www.gallica.bnf.fr/
Human Rights Library - mais de 14 mil documentos relacionados aos direitos humanos: www.umn.edu/humanrts
IDRC Library - textos e imagens desse centro de estudos do desenvolvimento internacional: www.idrc.ca/library
Internet Ancient History Sourcebook - página dedicada à difusão de documentos da Antiguidade: www.fordham.edu/halsall/ancient/asbook.html
Internet Archive - guarda páginas da internet em seus diversos estágios de > evolução: http://www.archive.org/
Internet Public Library - indica páginas em que se podem ler documentos > sobre áreas específicas do conhecimento: http://www.ipl.org/
John F. Kennedy Library - sobre o presidente americano John F. Kennedy, morto em 1963: www.cs.umb.edu/jfklibrary
LibDex - índice para localizar mais de 18 mil bibliotecas do mundo todo e seus sites: http://www.libdex.com/
Lib-web-cats - enumera bibliotecas de mais de 60 países, mas o foco são os EUA e o Canadá: www.librarytechnology.org/libwebcats
Libweb - outro site de busca de instituições, com 6.600 links de 115 países: > www.sunsite.berkeley.edu/Libweb
Mosteiro São Geraldo - livros e periódicos sobre história e literatura > húngara, filosofia, teologia e religião: http://www.msg.org.br/
]
National Library of Australia - divulga periódicos australianos da década de 1840: http://www.nla.gov.au/
Oxford Digital Library - centraliza acesso a projetos digitais das bibliotecas da Universidade de Oxford: http://www.odl.ox.ac.uk/
Perseus Digital Library - dedicado a estudos sobre os gregos e romanos > antigos: http://www.perseus.tufts.edu/
Servei de Biblioteques - bibliotecas da Universidade Autônoma de Barcelona: http://www.bib.uab.es/
The Aerial Reconnaissance Archives - recém-lançado, site promete divulgar 5 milhões de fotos aéreas da Segunda Guerra Mundial: http://www.evidenceincamera.co.uk/
The British Library - além de busca no catálogo, tem coleções virtuais separadas por região geográfica: http://www.bl.uk/
The Digital Library - diversas coleções temáticas, como a de escritoras negras americanas do século 19: http://www.digital.nypl.org/
The Digital South Asia Library - periódicos, fotos e estatísticas que contam a história do Sul da Ásia: http://www.dsal.uchicago.edu/
The Huntington - grande quantidade de obras raras em arte e botânica: http://www.huntington.org/
The Math Forum - textos que se propõem a auxiliar no ensino da matemática: www.mathforum.org/library
The New Zealand Digital Library - destaque para os arquivos sobre questões humanitárias: www.sadl.uleth.ca/nz/cgi-bin/library
Treasures of Keyo University - um dos destaques é a reprodução da Bíblia de > Gutenberg: www.humi.keio.ac.jp/treasures
Unesco Libraries Portal - informações sobre bibliotecas e projetos voltados para a preservação da memória: www.unesco.org/webworld/portal_bib
UOL Biblioteca - dicionários, guias de turismo e especiais noticiosos: www.uol.com.br/bibliot
UT Library Online - possui uma ampla coleção de mapas: http://www.lib.utexas.edu/
BIBLIOTECAS VIRTUAIS
Alexandria Virtual - acervo variado, de literatura a humor: http://www.alexandriavirtual.com.br/
Bartleby.com - importantes textos, como os 70 volumes da "Harvard Classics" e a obra completa de Shakespeare: http://www.bartleby.com/
Bibliomania - 2.000 textos clássicos e guias de estudo em inglês: > http://www.bibliomania.com/
Biblioteca dei Classici Italiani - literatura italiana, dos "duecento" aos "novecento": www.fausernet.novara.it/fauser/biblio
Biblioteca Electrónica Cristiana - teologia e humanidades vistas por religiosos: http://www.multimedios.org/
Biblioteca Virtual do Estudante Brasileiro - especializada em literatura em língua portuguesa: http://www.bibvirt.futuro.usp.br/
Biblioteca Virtual - Literatura - pretende reunir grandes obras literárias: http://www.biblio.com.br/
Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes - cultura hispano-americana: http://www.cervantesvirtual.com/
Biblioteca Virtual Universal - textos infanto-juvenis, literários e técnicos: http://www.biblioteca.org.ar/
Contos Completos de Machado de Assis - mais de 200 contos de Machado de Assis: www.uol.com.br/machadodeassis
Cultvox - serviço que oferece alguns e-livros gratuitamente e vende outros: http://www.cultvox.com.br/
Dearreader.com - clube virtual que envia por e-mail trechos de livros: http://www.dearreader.com/
eBooksbrasil - livros eletrônicos gratuitos em diversos formatos: http://www.ebooksbrasil.com/
iGLer - acesso rápido a duas centenas de obras literárias em português:
International Children's Digital Library - pretende oferecer e-livros infantis em cem línguas: http://www.icdlbooks.org/
IntraText - textos completos em diversas línguas, entre elas o latim: http://www.intratext.com/
Jornal da Poesia - importante acervo de poesia em língua portuguesa, com textos de mais de 3.000 autores: www.secrel.com.br/jpoesia
Net eBook Library - biblioteca virtual com parte do acervo restrito a > assinantes do site: netlibrary.net
Nuovo Rinascimento - especializado em documentos do Renascimento italiano: www.nuovorinascimento.org/n-rinasc/homepage.htm
Online Literature Library - pequena coleção para ler diretamente no navegador: http://www.literature.org/
Progetto Manuzio - textos em italiano para download, incluindo óperas: www.liberliber.it/biblioteca
Project Gutenberg - mantido por voluntários, importante site com obras integrais disponíveis gratuitamente: http://www.gutenberg.net/
Proyecto Biblioteca Digital Argentina - obras consideradas representativas da literatura argentina: http://www.biblioteca.clarin.com/
Romanzieri.com - livros eletrônicos em italiano compatíveis com o programa Microsoft Reader: http://www.romanzieri.com/
Sololiteratura.com - textos sobre autores hispano-americanos: http://www.sololiteratura.com/
Textos de Literatura Galega Medieval - pequena seleção de poesias e > histórias medievais: www.usc.es/~ilgas/escolma.html
The Literature Network - poemas, contos e romances de aproximadamente 90 autores: ww.online-literature.com
The Online Books Page - afirma ter mais de 20 mil livros on-line: digital.library.upenn.edu/books
The Online Medieval and Classical Library - obras literárias clássicas e medievais: sunsite.berkeley.edu/OMACL
Usina de Letras - divulga a produção de escritores independentes: http://www.usinadeletras.com.br/
Virtual Book Store - literatura do Brasil e estrangeira, biografias e resumos: http://www.vbookstore.com.br/
Virtual Books Online - e-livros gratuitos em português, inglês, francês, espanhol, alemão e italiano: virtualbooks.terra.com.br
CIENTÍFICOS
Banco de Teses - resumos de teses e dissertações apresentadas no Brasil desde 1987: http://www.capes.gov.br/
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações - textos integrais de parte das teses e dissertações apresentadas na USP: http://www.teses.usp.br/
Biblioteca Virtual em Saúde - revistas científicas e dados de pesquisas sobre adolescência, ambiente e saúde : http://www.bireme.br/
Digital Library of MIT Theses - algumas teses do Instituto de Tecnologia de Massachusetts; a mais antiga é de 1888: theses.mit.edu
Great Images in Nasa - imagens históricas da agência espacial americana: grin.hq.nasa.gov
ProQuest Digital Dissertations - sistema para pesquisar resumos de teses e de dissertações: wwwlib.umi.com/dissertations
Public Health Image Library - fotos, ilustrações e animações voltadas para o esclarecimento de questões de saúde pública: phil.cdc.gov
PubMed - referências a 14 milhões de artigos biomédicos: http://www.ncbi.nlm.nihgov/ > /entrez/query.fcgi > >
SciELO - biblioteca eletrônica com periódicos científicos brasileiros: http://www.scielo.br/
ScienceDirect - mais de 1.800 revistas, de "ACC Current Journal Review" a "Zoological Journal": http://www.sciencedirect.com/
Universia Brasil - busca teses nas universidades públicas paulistas e na PUC-PR: www.universiabrasil.net/busca_teses.jsp
ASSOCIAÇÕES
American Library Association - sobre o sistema de bibliotecas dos EUA: http://www.ala.org/
Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas - publicações indicadas e agenda de eventos da área: http://www.apbad.pt/
Association des Bibliothécaires Français - dossiês sobre o sistema francês > de bibliotecas e temas correlatos: http://www.abf.asso.fr/
Council on Library and Information Resources - organização que se preocupa com a preservação de informações: http://www.clir.org/
European Bureau of Library, Information and Documentation Associations - entidade européia dedicada à promoção da ciência da informação: http://www.eblida.org/
International Federation of Library Associations and Institutions - associação com membros em mais de 150 países: http://www.ifla.org/
Sociedad Española de Documentación e Información Científica - oportunidades, como cursos virtuais: http://www.sedic.es/
Biblioteca do Congresso americano - considerada a maior e uma das melhores bibliotecas do mundo, é referência internacional, com conteúdos trabalhados e relacionados: http://www.loc.gov/
Biblioteca Nacional (Brasil) - o site é referência para todas as bibliotecas do país, com farta documentação e imagens digitalizadas, além de informações e serviços: http://www.bn.br/

Deu no Le Monde

No Brasil, governo paga bolsa para quem vai à escola
Por Jean-Pierre Langellier, no Le Monde
Tradução: Jean-Yves de Neufville (UOL Mídia Global)

''Sem esse dinheiro, não daria para chegar ao fim do mês'', salienta Maria, 46 anos, uma desempregada. ''Para mim, esta é uma ajuda vital'', comenta Sandra, 43 anos, que sobrevive fazendo bicos como costureira. ''Graças a esta quantia, os meus filhos podem estudar'', conta Socorro, 45 anos, ''ao passo que no meu caso, quando eu era criança, em vez de um lápis e de um caderno, tudo o que me ofereceram foi uma pá de cavar''. Essas três mães de família brasileiras, muito pobres, fazem a mesma avaliação favorável a respeito da mais bem-sucedida das iniciativas sociais do governo Lula: o programa ''Bolsa Família''.
Implantado em 2003, este ''mecanismo condicional de transferência de recursos'' - conforme é chamado pelos especialistas - funciona com base num princípio simples. O Estado brasileiro deposita uma ajuda mensal para as famílias ''pobres'' e ''muito pobres'', com a condição de que as suas crianças, caso existam, sejam escolarizadas e que elas possam apresentar uma caderneta de vacina em dia.
O montante desta alocação varia em função da renda da família e do número de filhos dependentes. É considerada como ''muito pobre'' uma família que dispõe de uma renda mensal por cabeça inferior a R$ 60. Ela recebe uma indenização de base de R$ 62, quer ela tenha filhos ou não. Uma família ''pobre'', na qual a renda por cabeça situa-se entre R$ 60 e R$ 120, não tem direito a esta indenização.
Quer ela seja ''pobre'' ou ''muito pobre'', uma família recebe uma quantia de R$ 20 para cada criança escolarizada de menos de 15 anos, e para o número máximo de três crianças; e de R$ 30 para cada adolescente escolarizado de menos de 17 anos, dentro do limite de dois beneficiários. No total, uma família ''pobre'' pode receber até R$ 120, e uma ''muito pobre'' até R$ 182. No plano geral, 46 milhões de pessoas que integram 12 milhões de famílias são beneficiadas pelo programa Bolsa Família, ou seja, um em cada quatro brasileiros. Neste universo, apenas um número muito reduzido de famílias - 0,05% - tem direito a receber a quantia máxima.
O dinheiro é transferido preferencialmente para a mãe de família, que deve abrir uma conta corrente para este fim e recebe um cartão de débito emitido pela Caixa Econômica Federal. A Caixa é um banco de Estado e o segundo estabelecimento mais importante do país. Essa remessa direta permite reduzir os riscos de corrupção e de clientelismo. O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, confia muito mais nas mulheres do que nos homens para administrarem essa ajuda financeira. ''Um homem'', explica Lula, ''apresenta um risco maior, pois ele estará mais inclinado a sentar ao balcão de um bar e a gastar o dinheiro com aperitivos. Já, uma mulher tenderá a priorizar seus filhos''.
O programa ''Bolsa Família'' é o primeiro programa social que resulta de uma cooperação estreita entre os três níveis de poder no Brasil, o federal, o estadual e o municipal. As autoridades locais elaboram a lista dos beneficiários, enquanto o governo central se encarrega das remessas de dinheiro. Um sucessor do Bolsa Escola, o qual foi uma experiência lançada em Brasília em 1994 que, desde então, se generalizou, o Bolsa Família acabou juntando diversos mecanismos de ajuda. Ele é atualmente o maior programa em todo mundo de transferência de dinheiro em proveito de famílias pobres.
O programa ''Bolsa Família'' almeja vários objetivos. O primeiro visa a fazer com que cada brasileiro possa se alimentar a contento; o segundo é de obrigar cada criança a cumprir seu ciclo de escolarização obrigatória de oito anos, num país onde o trabalho é legalmente autorizado apenas a partir de 16 anos; o terceiro consiste em fazer com que os mais pobres possam ser beneficiados pelos serviços públicos disponíveis nos setores da educação e da saúde, e, com isso, possam exercer seus direitos de cidadão. Por fim, ele lhes proporciona os meios necessários para participarem, nem que seja de maneira humilde, da vida econômica.
As quantias que são remetidas para cada família podem parecer, à primeira vista, modestas, e até mesmo irrisórias. Mas elas já contribuem efetivamente para combater a pobreza e reduzir as desigualdades, de modo mais eficiente do que os aumentos periódicos do salário mínimo, os quais são fortemente corroídos pela inflação. Além disso, elas melhoram de imediato a vida cotidiana de milhões de brasileiros. Mais tarde, no longo prazo, elas mudarão sem dúvida o destino dos mais novos, proporcionando-lhes um nível de educação mais elevado que ampliará seu horizonte profissional.
A proporção de pobres no Brasil diminuiu, passando de 34%, em 2003, para 25% em 2006. A evolução do índice Gini (um coeficiente criado pelo italiano Corrado Gini, que mede o grau de desigualdade na distribuição da renda numa determinada sociedade) aponta uma redução sensível das desigualdades sociais no país no decorrer do mesmo período. Em 2007, 1,4 milhão de famílias perderam o benefício do Bolsa Família, após terem ultrapassado, indo na direção certa, o limite de pobreza.
A melhora, proporcionada por este programa, das perspectivas de vida de uma parte do eleitorado popular fez com que o presidente Lula fosse reeleito facilmente em 2006 e, desde então, permitiu aumentar o volume daquilo que chamam aqui de o seu ''colchão de popularidade'' (65% de opiniões favoráveis). O forte crescimento econômico que foi registrado neste ano complementou os aspectos positivos deste quadro. Diante disso, dá para entender por que Lula, um aficionado de referências cristãs, chegou a comparar os efeitos do programa ''Bolsa Família'' com o milagre da multiplicação dos pães.
Citado como exemplo no exterior, o programa Bolsa Família peca por conta de alguns defeitos. Destes, o mais grave foi corrigido no mês de março quando o governo redefiniu de 15 para 17 anos a idade dos adolescentes beneficiados. Até então, um adolescente em cada cinco preferia abandonar a escola aos 15 anos, uma idade na qual ele não ''rendia'' mais nada para a sua família, para tentar ganhar a vida por conta própria. Com isso, cerca de 2 milhões de jovens com idades de 15 a 17 anos acabam ficando numa encruzilhada, pois eles não encontram nenhum emprego e não possuem a bagagem escolar suficiente para tanto.
Contudo, o ''Bolsa Família'' tem sido alvo de uma crítica mais geral. Ele seria paternalista e manteria seus beneficiários alienados por uma mentalidade de assistido, vinculada à sua dependência crônica em relação ao Estado. Ele também provocaria um ''efeito de preguiça'', incitando-os a se contentarem com o mínimo e dissuadindo-os de tentarem melhorar sua situação.
À luz de uma série de investigações no terreno, essa crítica revela ser amplamente infundada. A quantia média recebida por uma família pobre é três ou quatro vezes mais reduzida do que o salário mínimo (RS$ 180). Portanto, de qualquer maneira, mais vale descolar um emprego, mesmo que este seja pouco qualificado. Longe de serem indolentes, as famílias interessadas trabalham, de fato, muito mais do que as outras.
Uma outra queixa dirigida ao programa Bolsa Família sublinha que ele redistribui dinheiro e favorece artificialmente o consumo, mas não estimularia a produção. Com efeito, ele é simplesmente um remédio pontual e parcial contra a miséria: nada mais e nada menos do que isso. Contudo, Lula mostra-se satisfeito por ver os pobres se tornarem consumidores, principalmente nas regiões mais prejudicadas pela pobreza, como o Nordeste: ''Eu quero que eles comprem uma geladeira, uma televisão, roupas, calçados. É preciso acabar de uma vez por todas com os preconceitos em relação aos pobres''.
O governo pretende fazer do programa ''Bolsa Família'' um instrumento, entre outros, de inclusão social, suscetível de incentivar os empréstimos e a poupança, o espírito de iniciativa, o investimento e a procura de um emprego. O cartão de débito fornecido pela Caixa constitui um precioso documento que permite, por exemplo, obter um microcrédito, ainda que esta seja uma prática ainda pouco comum no Brasil.
O programa Bolsa Família amplia, sobretudo, o acesso à educação, a qual representa a melhor arma, no Brasil ou em qualquer lugar do planeta, contra a pobreza. Neste campo, as mentes andaram evoluindo com uma lentidão excessiva. Segundo uma recente pesquisa de opinião, o direito à educação para todos ocupa apenas o 7º lugar entre as prioridades e as preocupações dos brasileiros, depois do emprego, da saúde, da segurança, das drogas, da corrupção e da fome.
Conforme sublinha Marcelo Néri, um economista na Fundação Getulio Vargas, o programa ''Bolsa Família'' possui um valor simbólico: ele mostra de que maneira um governo de esquerda procura arrancar a população da pobreza, incitando-a a se integrar no mercado. Para tanto, ele aloca um orçamento modesto para este programa, equivalente a 0,8% do PIB. Ou seja, é o que muitos chamariam, em outras circunstâncias, de um bom retorno para um investimento.

O apocalipse no mercado de trabalho

De educação, emprego e trabalho
Paulo Nathanael Pereira de Souza*

Quando se pensa em mercado de trabalho, há que dividi-lo, segundo a sua verdadeira estrutura: de um lado, os empregos formais, que entre nós se regem pela CLT, e de outro, as demais relações de trabalho, que envolvem formas as mais variadas, como: profissionais liberais, comércio de esquina, indústria caseira, empreendedores diversos, etc, etc. Até porque, em termos quantitativos, o mercado brasileiro hoje se reparte meio a meio, entre celetistas e trabalhadores informais, com forte tendência de ultrapassagem daqueles por estes.

Apesar disso, quando se fala em reforma trabalhista – uma exigência inadiável destes tempos de modernidade e mundialização –, arma-se por toda parte uma verdadeira tempestade em copo d’água, dado o fato de que quem pensa em trabalho parece pensar só em emprego. Ademais, não se pode ignorar que uma série de gigantescas instituições, como os sindicatos patronais e trabalhistas, os órgãos da Justiça e do Ministério do Trabalho, e Emprego, formam uma floresta, cujas raízes se aprofundam no solo fértil da CLT. Se mexerem nessa lei sagrada, outorgada à nação pelo santo dos trabalhadores brasileiros, que já não é São José, e sim, São Getúlio Vargas, essa floresta corre o risco de desabar.

Acontece que, ao se falar em reforma das leis do trabalho, o que se quer na verdade é promover a inclusão, nas proteções possíveis de uma nova legislação, de todo o leque das profissões praticadas ao desabrigo da CLT, sem extinguir o que os cruzados do formalismo empregatício chamam de “sagradas conquistas do trabalhador”, as quais, na verdade, são os bem-aventurados privilégios da empregabilidade formal. Trata-se, pois, de incluir nessa ou em uma nova proteção legal os informais, sem necessariamente mexer com os formais. Estes podem e devem continuar, bem como as estruturas institucionais e sindicais, que cresceram à sua sombra. O importante mesmo é reconhecer como úteis, necessárias e indispensáveis à nova economia as muitas formas emergentes de trabalho, que se foram desenvolvendo ultimamente à margem do formalismo, e cujos agentes permanecem à espera de uma lei, que os ampare, defenda e promova, em nome da isonomia com os demais trabalhadores e da prática de uma Justiça Social, que vá além do atual conceito de empregabilidade.

Os equívocos que, no Brasil, misturam emprego com trabalho também afloram – e com destaque – nas discussões sobre desemprego. E quando o mercado contrata lotes de milhões de novos empregados, como aconteceu no decorrer de 2007, uma certa imprensa, não se sabe, se por ignorância ou por viés ideológico, festeja o feito, como se fora milagre, embora omitindo duas informações igualmente importantes: uma, a de que são em geral empregos debaixa qualificação, outra, a de que geram salários pífios, de quase nenhum poder aquisitivo.

Ainda que precários, esses empregos servem, todavia, para aliviar o negativismo das estatísticas e dar uma certa euforia à pobreza nacional (pelo menos àquela que ainda crê no trabalho e se nega a pedir demissão do emprego, para tornar-se beneficiária de políticas filantrópicas do tipo bolsa – disso e daquilo).

Mas, o pior problema não está aí, e sim naqueles setores que exigem qualificações maiores do trabalhador para a conquista de um posto de trabalho. São as funções técnicas intermediárias, que permanecem sem titulares por muito tempo, porque não há gente capacitada para sercontratada. Sabe-se que à medida que se reciclam tecnologicamente as empresas, mormente as que lidam com as atividades dos setores sucroalcooleiro, petrolífero, de construção civil, financeiro, hard e software, entre tantos outros, vão elas se tornando mais exigentes para comos candidatos a emprego. Nesses casos, o principal culpado pela insuficiência de trabalhadores com preparo mínimo para o exercício profissional é a educação básica de péssima qualidade, praticada hoje no Brasil.

Ademais da incapacidade da escola para entregar à sociedade jovens minimamente qualificados para a inclusão social e o trabalho, ainda ocorreque a escolaridade média do brasileiro não passa de cinco anos, o que, nos países mais desenvolvidos se mede por dez ou doze. Sobram empregos e escasseiam candidatos com credenciais para ocupá-los. No CIEE, vive-se esse drama praticamente todos os dias, apesar de seu banco de dados apresentar mais de milhão de jovens inscritos.

A empresa pede um estagiário dotado de certo nível de conhecimentos. Enviam-se três ou quatro dentre os melhores desse banco. Não raro, são todos devolvidos, por não conseguirem aprovação nas entrevistas, que tiveram com o RH da empresa. Há quem queira culpar o CIEE por isso. Ocorre que os alunos não são do CIEE, e sim da rede formal de ensino, onde se encontram as escolas públicas e privadas. O CIEE não ensina por não ser escola, apenas intermedeia o produto acabado, que vem do sistema de ensino, e o encaminha para as organizações ofertantes de estágio.

Para se ter idéia da gravidade dessa situação, em tudo e por tudo paradoxal, recentemente, em Santo André, onde havia 49.000 desempregados, deu-se a oferta de 25.000 postos de trabalho (50% do total de desempregados). Sabem quantos puderam ser aproveitados? Apenas 9.200! Daí poder-se dizer que mais grave do que o desemprego no Brasil é a deseducação do jovem, que vê o emprego, mas não o captura por falta de competência intelectual. Quanto vai, ainda, demorar para que as autoridades do ensino deste país consigam enxergar o apocalipse que, de há muito, nos rodeia?

*Paulo Nathanael Pereira de Souza é doutor em educação, presidente do Conselho Diretor do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) Nacional e do presidente do Conselho de Administração do CIEE.

Fonte: http://congressoemfoco.ig.com.br/DetForum.aspx?id=24412

No Olimpo

Os melhores parlamentares, segundo os jornalistas
Cristovam, no Senado, e Fruet, na Câmara, encabeçam a lista dos melhores, de acordo com profissionais que cobrem o Congresso
Edson Sardinha e Fábio Góis*

Na avaliação dos jornalistas que cobrem as atividades do Congresso, os senadores Cristovam Buarque (PDT-DF), Eduardo Suplicy (PT-SP), Pedro Simon (PMDB-RS), Marina Silva (PT-AC) e Demóstenes Torres (DEM-GO) são, em ordem decrescente, os que mais bem representam os interesses da população no Senado (confira a lista completa).

Já na Câmara dos Deputados (veja a relação), segundo os 204 jornalistas consultados, os que exercem o mandato de forma mais representativa são, também em ordem decrescente, Gustavo Fruet (PSDB-PR), Chico Alencar (Psol-RJ), Maurício Rands (PT-PE), Fernando Gabeira (PV-RJ), e Maria do Rosário (PT-RS).

Esses dez e outros 32 parlamentares classificados serão agraciados, em cerimônia que será realizada em Brasília, no dia 1º de dezembro, com o Prêmio Congresso em Foco 2008. Cristovam e Fruet receberão ainda um prêmio especial por terem sido os mais votados pelos jornalistas.

Estão entre os finalistas que serão submetidos à avaliação do internauta, entre os dias 22 de setembro e 20 de novembro, os 26 deputados e os 16 senadores que receberam maior número de voto entre os profissionais de imprensa. O número é maior que os 40 previstos inicialmente, já que houve empate na 25ª e na 15ª colocação das respectivas casas legislativas. Caberá agora ao leitor do Congresso em Foco, já a partir da próxima segunda-feira, definir a classificação final.

Os 42 parlamentares receberão certificados atestando a boa atuação que têm ou tiveram no exercício do mandato, conforme o julgamento daqueles que por obrigação profissional devem acompanhar com profundidade e independência as atividades do Legislativo federal.

O internauta decidirá quem vai receber os troféus reservados aos três primeiros lugares, na Câmara e no Senado, e as placas de homenagem que serão entregues aos parlamentares que ficarem entre a quarta e a décima colocação em cada Casa.

A consulta foi feita entre jornalistas de 53 veículos de comunicação do país, entre jornais, emissoras de TV e rádio, agências de notícia, portais de internet. Repórteres, editores, produtores de TV, colunistas, chefes de redação, jornalistas de rádio, comentaristas – dos grandes jornais e revistas do país, da internet, da mídia regional e de órgãos de comunicação públicos – fizeram questão de depositar o voto na urna itinerante que, de terça-feira (16) até ontem (18), percorreu as dependências do Congresso e as principais redações da capital federal (leia mais).

Todo o processo de votação e apuração foi acompanhado pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal (SJPDF), que apóia a iniciativa, assim como a Ordem dos Advogados do Brasil. O Prêmio Congresso em Foco 2008 tem o patrocínio da Petrobras e da Brasil Telecom.

Representatividade

Entre os 42 finalistas, há oito mulheres, um aumento relativamente significativo em comparação com as cinco classificadas no ano passado. As deputadas Maria do Rosário (PT-RS), Luciana Genro (Psol-RS), Luiza Erundina (PSB-SP), Rita Camata (PMDB-ES) e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), e as senadoras Marina Silva (PT-AC), Patrícia Saboya (PDT-CE) e Ideli Salvatti (PT-SC) compõem a bancada feminina.

Já entre os partidos, o do presidente Lula é o que reúne o maior número de representantes, entre deputados e senadores. São 14 petistas. Os demais selecionados se dividem da seguinte forma: PMDB (6); PSB (4); PDT (4); Psol (3); PCdoB (3); PSDB (3); PPS (2); DEM (2); e PV (1).

Das 27 unidades da Federação, 15 têm ao menos um deputado ou senador na lista. Dono da maior bancada no Congresso, São Paulo tem também o maior número de finalistas: sete, ao todo. Rio Grande do Sul (6); Paraná (4); Rio de Janeiro (4); Amazonas (3); Pernambuco (3); Acre (2); Bahia (2); Ceará (2); Distrito Federal (2); Espírito Santo (2); Santa Catarina (2); Goiás (1); Maranhão (1); e Rio Grande do Norte (1) aparecem na seqüência.

Ao todo, 49 senadores e 177 deputados foram mencionados nas cédulas. O senador Jefferson Péres (PDT-AM), morto em maio deste ano, foi lembrado 45 vezes pelos jornalistas e aparece como o oitavo mais bem votado no Senado.

Ao final da apuração, ontem à noite, o Congresso em Foco procurou os cinco parlamentares que encabeçaram a consulta à imprensa em cada casa legislativa. Nem todos foram localizados. Ao receberem a notícia sobre o resultado da votação, o senador Pedro Simon e os deputados Gustavo Fruet, Chico Alencar, Maurício Rands e Fernando Gabeira ressaltaram a importância da premiação para que o Parlamento reconquiste sua credibilidade.

Em vermelho, os parlamentares do Ceará.

Os deputados votados e os finalistas

Segue a relação de todos os deputados federais votados pelos 204 jornalistas que participaram da consulta. Em negrito, os parlamentares que participarão da segunda fase de votação, a cargo dos internautas, no período de 22 de setembro a 20 de novembro de 2008.

1. Gustavo Fruet (PSDB-PR) – 79
2. Chico Alencar (Psol-RJ) – 70
3. Maurício Rands (PT-PE) – 53
4. Fernando Gabeira (PV-RJ) – 48
5. Maria do Rosário (PT-RS) – 38
6. Luciana Genro (Psol-RS) – 33
7. Arlindo Chinaglia (PT-SP) – 29
8 - Luiza Erundina (PSB-SP) – 29
9. Flávio Dino (PCdoB-MA) – 27
10. Henrique Fontana (PT-RS) – 24
11. Raul Jungmann (PPS-PE) – 22
Walter Pinheiro (PT-BA) – 22
13. José Eduardo Cardozo (PT-SP) – 21
Rita Camata (PMDB-ES) – 21
15. Aldo Rebelo (PCdoB-SP) – 19
Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ) – 19
Dr. Rosinha (PT-PR) – 19
18. Osmar Serraglio (PMDB-PR) – 18
Miro Teixeira (PDT-RJ) – 18
20. José Carlos Aleluia (DEM-BA) – 17
Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) – 17
22. Fernando Coruja (PPS-SC) – 16
Ciro Gomes (PSB-CE) – 16
24. Ibsen Pinheiro (PMDB-RS) – 15
25. Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) – 15
Ivan Valente (Psol-SP) – 15
27. Beto Albuquerque (PSB-RS) – 14
Carlito Merss (PT-SC) – 14
29. Antonio Carlos Magalhães Neto (DEM-BA) – 13
30. Antonio Carlos Mendes Thame (PSDB-SP) – 12
Augusto Carvalho (PPS-DF) (deputado licenciado) – 12
Paulo Rubem Santiago (PSB-PE) – 12
33. José Aníbal (PSDB-SP) – 11
Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) – 11
Manuela D’Ávila (PCdoB-RS) – 11
36. Antonio Carlos Pannunzio (PSDB-SP) – 10
Carlos Sampaio (PSDB-SP) – 10
38. Julio Semeghini (PSDB-SP) – 9
Rafael Guerra (PSDB-MG) – 9
Ronaldo Caiado (DEM-GO) – 9
41. Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) – 8
Domingos Dutra (PT-MA) – 8
Paulo Renato Souza (PSDB-SP) – 8
44. Luiz Couto (PT-PB) – 7
Sarney Filho (PV-MA) – 7
46. Arnaldo Jardim (PPS-SP) – 6
Arnaldo Madeira (PSDB-SP) – 6
Michel Temer (PMDB-SP) – 6
Nelson Pellegrino (PT-BA) – 6
Vicentinho (PT-SP) – 6
51. Alice Portugual (PCdoB-BA) – 5
Carlos Abicalil (PT-MT) – 5
Janete Capiberibe (PSB-AP) – 5
João Campos (PSDB-GO) – 5
Vanderlei Macris (PSDB-SP) – 5
56. Adão Pretto (PT-RS) – 4
Antonio Palocci (PT-SP) – 4
Darcísio Perondi (PMDB-RS) – 4
Dr. Pinotti (DEM-SP) – 4
Gilmar Machado (PT-MG) – 4
Índio da Costa (DEM-RJ) – 4
Luis Carlos Heinze (PP-RS) – 4
Magela (PT-DF) – 4
Marcelo Itagiba (PMDB-RJ) – 4
Rodrigo Maia (DEM-RJ) – 4
Perpétua Almeida (PCdoB-AC) – 4
Zezéu Ribeiro (PT-BA) – 4
68. Bruno Araújo (PSDB-PE) – 3
Eduardo Barbosa (PSDB-MG) – 3 Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) – 3
Hugo Leal (PSC-RJ) – 3
Inocêncio Oliveira (PR-PE) – 3
Júlio Delgado (PSB-MG) – 3
Jutahy Junior (PSDB-BA) – 3
Luiz Paulo Vellozo Lucas (PSDB-ES) – 3
Neucimar Fraga (PR-ES) – 3
Pedro Wilson (PT-GO) – 3
Regis Oliveira (PSC-SP) – 3
Ricardo Barros (PP-PR) – 3
Rodrigo Rocha Loures (PSDB-PR) – 3
81. Armando Monteiro (PTB-PE) – 2
Carlos Melles (DEM-MG) – 2
Cezar Schirmer (PMDB-RS) – 2
Clodovil Hernandes (PR-SP) – 2
Edson Duarte (PV-BA) – 2
Emanuel Fernandes (PSDB-SP) – 2
Fernando Ferro (PT-PE) – 2
Gastão Vieira (PMDB-MA) – 2
Fátima Bezerra (PT-RN) – 2
Gonzaga Patriota (PSB-PE) – 2
Iriny Lopes (PT-ES) – 2
Jair Bolsonaro (PP-RJ) – 2
Jô Moraes (PCdoB-MG) – 2
José Genoino (PT-SP) – 2
José Linhares (PP-CE) – 2
José Pimentel (PT-CE) (deputado licenciado, ministro da Previdência) – 2
Lelo Coimbra (PMDB-ES) – 2
Nazareno Fonteles (PT-PI) – 2
Marina Magessi (PPS-RJ) – 2
Miguel Martini (PHS-MG) – 2
Otávio Leite (PSDB-RJ) – 2
Pedro Eugênio (PT-PE) – 2
Professora Raquel Teixeira (PSDB-GO) – 2
Rodrigo de Castro (PSDB-MG) – 2
Silvio Torres (PSDB-SP) – 2
Vic Pires Franco (DEM-PA) – 2
Vignatti (PT-SC) – 2
108. Alceni Guerra (DEM-PR) (deputado licenciado) – 1
André de Paula (DEM-PE) – 1
Ângela Amin (PP-SC) – 1
Ariosto Holanda (PSB-CE) – 1
Assis do Couto (PT-PR) – 1
Cândido Vaccarezza (PT-SP) – 1
Carlos Bezerra (PMDB-MT) – 1
Carlos Zarattini (PT-SP) – 1
Celso Russomanno (PP-SP) – 1
Cida Diogo (PT-RJ) – 1
Ciro Nogueira (PP-PI) – 1
Cláudio Magrão (PPS-SP) – 1
Colbert Martins (PMDB-BA) – 1
Devanir Ribeiro (PT-SP) – 1
Dr. Ubiali (PSB –SP) – 1
Duarte Nogueira (PSDB–SP) – 1
Edson Santos (PT-RJ) (deputado licenciado, ministro da Igualdade Racial) – 1
Eduardo Gomes (PSDB-TO) – 1
Eunício Oliveira (PMDB-CE) – 1
Fábio Faria (PMN-RN) – 1
Fátima Pelaes (PMDB-AP) (deputada licenciada) – 1
Geddel Vieira Lima (PMDB) (deputada, ministro da Integração Nacional) – 1
Geraldo Resende (PMDB-MS) – 1
Geraldo Thadeu (PPS- MG) – 1
Germano Bonow (DEM-RS) – 1
Giovanni Queiroz (PDT-PA) – 1
Henrique Afonso (PT-AC) – 1
João Almeida (PSDB-BA) – 1
João Maia (PR-RN) – 1
Jofran Frejat (PR-DF) – 1
Jorge Bittar (PT-RJ) – 1
José Mentor (PT-SP) – 1
José Múcio (PTB-PE) (deputado licenciado, ministro das Relações Institucionais) – 1
José Paulo Tóffano (PV-SP) – 1
Jovair Arantes (PTB-GO) – 1
Lael Varella (DEM-MG) – 1
Laerte Bessa (PMDB-DF) – 1
Lobbe Neto (PSDB-SP) – 1
Luiz Bassuma (PT-BA) – 1
Luiz Sérgio (PT-RJ) – 1
Márcio França (PSB-SP) – 1
Márcio Junqueira (DEM-RR) – 1
Marcondes Gadelha (PSB-PB) – 1
Marco Maia (PT-RS) – 1
Maria do Carmo Lara (PT-MG) – 1
Mário Negromonte (PP-BA) – 1
Mauro Benevides (PMDB-CE) – 1
Mendes Ribeiro Filho (PMDB-RS) – 1
Natan Donadon (PMDB-RO) – 1
Nelson Meurer (PP-PR) – 1
Nilson Mourão (PT-AC) – 1
Onyx Lorenzoni (DEM-RS) – 1
Paes Landim (PTB-PI) – 1
Paulo Bornhausen (DEM-SC) – 1
Paulo Teixeira (PT-SP) – 1
Pedro Fernandes (PTB-MA) – 1
Pedro Henry (PP-MT) (licenciado) – 1
Reinold Stephanes (PMDB-PR) (licenciado, ministro da Agricultura) – 1
Reginaldo Lopes (PT-MG) – 1
Ricardo Berzoini (PT-SP) – 1
Ricardo Izar (PTB-SP) (in memorian) – 1
Roberto Magalhães (DEM-PE) – 1
Rose de Freitas (PMDB-ES) – 1
Rubens Otoni (PT-GO) – 1
Sandro Mabel (PR-GO) – 1
Severiano Alves (PDT-BA) – 1
Tadeu Filippelli (PMDB-DF) – 1
Tarcisio Zimmermann (PT-RS) – 1
Valdir Colatto (PT-SC) – 1
Veloso (PSDB-ES) – 1
William Woo (PSDB-SP) – 1
(No total, 178 parlamentares que exercem ou exerceram o mandato durante o ano de 2008 receberam votos dos jornalistas)

Votos nulos – 5 [também receberam voto as ex-deputadas Maninha (Psol-DF) e Iara Bernardi (PT-SP), os ex-deputados Roberto Freire (PPS-PE) e Eduardo Paes (PMDB-RJ) e o deputado distrital Reguffe (PDT)].Votos em branco – 16
ATUALIZADA EM:19/09/2008
Senadores
Os senadores votados e os finalistas
Segue a relação de todos os senadores votados pelos 204 jornalistas que participaram da consulta. Em negrito, os parlamentares que participarão da segunda fase de votação, a cargo dos internautas, no período de 22 de setembro a 20 de novembro de 2008.
1. Cristovam Buarque (PDT-DF) – 107
2. Eduardo Suplicy (PT-SP) – 85
3. Pedro Simon (PMDB-RS) – 76

4. Marina Silva (PT-AC) – 73
5. Demóstenes Torres (DEM-GO) – 56
6. Paulo Paim (PT-RS) – 48
7. Arthur Virgílio (PSDB-AM) – 47
8. Jéfferson Péres (PDT-AM) (in memorian) – 45
9. Renato Casagrande (PSB-ES) – 40
10. Patrícia Saboya (PDT-CE) – 38
11. Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN) – 34
12. Tião Viana (PT-AC) – 30
13. Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) – 26

14. Alvaro Dias (PSDB-PR) – 25
15. Aloizio Mercadante (PT-SP) – 23
Ideli Salvatti (PT-SC) – 23
16. José Agripino (DEM-RN) –17
17. Flávio Arns (PT-PR) – 16
18. Marisa Serrano (PSDB-MS) – 14
19. Heráclito Fortes (DEM-PI) – 13
20. Francisco Dornelles (PP-RJ) – 12
Marco Maciel (DEM-PE) – 12
21. José Nery (Psol-PA) – 10
Osmar Dias (PDT-PR) – 10
Sérgio Guerra (PSDB-PE) – 10
22. Kátia Abreu (DEM-TO) (licenciada) – 9
23. Magno Malta (PR-ES) – 8
Romeu Tuma (PTB-SP) – 8
24. Delcídio Amaral (PT-MS) – 5
25. Inácio Arruda (PCdoB-CE) – 5
Romero Jucá (PMDB-RR) – 5
26. Fátima Cleide (PT-RO) –4
Gerson Camata (PMDB-ES) – 4
Mão Santa (PMDB-PI) – 4
Marcelo Crivella (PRB-RJ) – 4
Serys Slhessarenko (PT-MT) – 4
27. José Sarney (PMDB-AP) – 3
Lúcia Vânia (PSDB-GO) – 3
Marconi Perillo (PSDB-GO) – 3
Renan Calheiros (PMDB-AL) – 3
Valdir Raupp (PMDB-RO) – 3
28. Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) – 2
César Borges (PR-BA) – 2
Eduardo Azeredo (PSDB-MG) – 2

Tasso Jereissati (PSDB-CE) – 2
29. Geraldo Mesquita Júnior (PMDB-AC) – 1
Gilvam Borges (PMDB-AP) – 1
João Pedro (PT-AM) – 1
Rosalba Ciarlini (DEM-RN) – 1
(No total, 49 senadores que exercem ou exerceram o mandato em 2008 receberam votos dos jornalistas)
Votos em branco – 5

Votos nulos – 6 (um deles dado à ex-senadora Heloísa Helena)